Fala Werneck

@fala.werneck_primimpnolugar

 

Este é o segundo thriller que eu leio das autoras e o título já intriga demais!

 

Shay é uma mulher que presencia uma pessoa tirando a própria vida de forma violenta em uma estação de metrô.

 

E quando ela começa a pesquisar e descobrir alguns detalhes da vida dessa mulher, percebe o quanto elas são parecidas. E isso a assusta muito.

 

Com algumas estatísticas e reflexões pessoais, a personagem nos mostra o quanto é solitária e carente de afeto.

 

Por isso que ela se envolve tão facilmente com as amigas da Amanda (a mulher que morreu) e tenta construir uma imagem que mostre o quanto ela pode ser parecida com elas e, consequentemente, entrar para o grupo.

 

Mas existe algo sinistro nessa amizade do grupo, essas mulheres parecem ser mais perigosas do que aparentam, ou estão apenas tentando fazer justiça com as próprias mãos?

 

Estou no capítulo 20 e criando várias teorias sobre o que elas podem estar tramando e o que pode ter feito com que a Amanda decidisse acabar com tudo assim.

 

Cassandra e Jane são irmãs e as que comandam esse grupo. Ainda que pareçam acolhedoras, elas são muito manipuladoras e choca a forma como tentam descobrir informações sobre a Shay.

 

Os capítulos alternam o ponto de vista da Shay e das irmãs, mostrando um pouco do passado também e nos ajudando a entender o que construiu a personalidade delas.

 

Vamos ver o que vem pela frente e quando iremos descobrir o que aconteceu para desestabilizar tanto a Amanda.

 

Eu tenho lido muitos romances contemporâneos ultimamente, então estava com saudades dos thrillers.

 

Você conhece a escrita das autoras?

 

Qual foi o último thriller que leu?

@fala.werneck

 

Gosto muito de poesia e adoro conhecer textos de novos autores, especialmente os nacionais.

 

O autor começa o livro nos explicando o porquê da escolha do nome e, realmente, todos nós vivenciamos essa experiência de nunca ter passado por alguma rua que, mesmo próxima, não faz parte do nosso trajeto.

 

Os poemas são repletos de rimas e o livro também possui pequenas histórias que nos falam sobre o que importa na vida e como devemos entender e também fortalecer o nosso interior.

 

Alguns poemas apresentam críticas sociais e outros falam do cotidiano.

 

Com sutileza, o autor mostra como tentamos enganar os outros (e nos enganar também) usando máscaras, que acabam nos afastando e impedindo que as pessoas realmente nos conheçam.

 

Não me canso de falar da beleza da poesia em permitir uma leitura particular para cada leitor.

 

A leitura do poema “Vale do Rio Amargo” é impactante, mas tenho certeza que será ainda mais para quem viveu a tragédia que aconteceu em Mariana em 2015.

 

E o poema do gato da Rita? Tadinho!

 

Sofreu, mas a força de viver foi maior e ele se adaptou.

 

Vou continuar a leitura para descobrir sobre o que mais os poemas falam.

 

@fala.werneck_livrosdoces

 

Hoje é o Dia Mundial do Chocolate!

 

Então, para comemorar, decidi fazer uma lista com livros que acho tão doces quanto um chocolate!

Espero que gostem e depois me contem se já leram alguma das minhas escolhas. 🙂

 

  • Imperfeitos – Christina Lauren

 

  • O plano perfeito para dar errado – Cameron Lund

 

  • O Diário da Princesa – Meg Cabot

 

  • Um novo capítulo para o amor – Jenny Colgan

 

  • A garota do aeroporto – Marcia Bastilho

 

  • Uma herdeira em fuga – N. Layber

 

  • Teto para dois – Beth O’Leary

 

  • Um amor para chamar de meu – Thaís Alves

 

  • Velha gata do apartamento 34 – Fernanda Negri

@fala.werneck_leiturasdemaio

 

A lista de hoje é com os livros que li em maio. 🙂

 

  • Agenda Negra – André Alves

 

  • Acima do bem e do mal – Josy Meire

 

  • Maldito beijo! – Renata Lustosa

 

  • Eu nunca passei por essa rua – Luiz Claudio Rocha Jardim

 

  • Meu Destino – Danny Tavares

 

  • A morte de Sarai – J. A. Redmerski

 

  • Atração Magnética – Meredith Wild

 

  • Imperfeitos – Christina Lauren

 

Vocês já leram algum desses?

@fala.werneck_trechosaindaexiste

 

Melhores Trechos

 

“Eu sei que podemos ser felizes sozinhas, mas é que dividindo as tristezas e compartilhando as alegrias tudo fica mais bonito.”

 

“Tentando aceitar que hoje, no auge dos quase trinta, eu não tenho a vida que tanto planejei.”

 

“Hoje entendo melhor o meu valor e estou aprendendo a não querer tudo de uma vez, a descansar, a fazer o que mais gosto sem sentir culpa.”

 

“Deixo fluir os pensamentos e coloco-os no papel o mais rápido que posso para não deixar escapar nada.”

 

“E assim me reconstruo, a cada letra, cada rasura, cada verso novo, eu apago e escrevo a minha vida.”

 

“E como é bom me sentir assim. Nas nuvens, rogando a Deus pra não despencar, pelo menos não assim tão fácil.”

 

“De hoje em diante, o meu pedido de todos os dias é que a gente seja muito feliz com tudo o que escolhemos para ser!”

 

especialnetflix

 

Você já parou para pensar sobre como as outras pessoas vivem?

 

Às vezes, estamos tão fechados e concentrados em nosso próprio mundinho, que nem notamos a infinidade de universos particulares que existem ao nosso redor.

 

Recentemente assisti ao especial da Netflix com a Viola e a Oprah e fiquei pensando sobre isso.

 

É fácil para nós, anônimos e comuns, imaginarmos que a vida de alguém tão influente e relevante na atualidade é “perfeita” ou algo próximo disso… Só que não é bem assim.

 

Na entrevista, enquanto elas conversam, a gente consegue notar o quanto cada uma teve que enfrentar e superar para chegar onde chegou e conseguir viver tantas experiências importantes.

 

Dor, sofrimento, desespero. Ambas passaram por momentos assim. E, com certeza, vários deles pareciam intermináveis.

 

Mas a vida segue, sempre segue. E a pessoa vai se fortalecendo…

 

Descobrindo a sua essência, o seu potencial, sua voz e, consequentemente, sua luz.

 

Duas mulheres fortes e que inspiram demais a gente!

 

Você já assistiu ao especial da Netflix com elas?

 

(E é claro que estou muito curiosa para ler o livro que a Viola escreveu, então vou baixar a amostra na Amazon para conhecer um pouquinho, aí depois venho contar as minhas primeiras impressões para vocês.)

@fala.werneck_tbrjulho

 

Mês começando e hoje é dia de TBR!

 

Confiram as sinopses das minhas escolhas para o mês de julho! 🙂

 

O moleque Ricardo – José Lins do Rego

Neste livro, assiste-se a uma significativa viagem no cenário ficcional até então privilegiado pelo romancista. Já não é mais o cotidiano do engenho açucareiro o universo retratado pelo escritor, mas sim o das relações sociais e de trabalho vigentes no ambiente urbano. Na narrativa, o jovem Ricardo, fatigado pela aspereza e falta de perspectivas no engenho Santa Rosa, abandona-o e parte em busca de uma vida melhor no Recife.

A agitação da cidade grande vivenciada pelo protagonista do romance é o mote para José Lins apresentar ao leitor um enredo intrigante, que ao mesmo tempo traz à baila pontos nevrálgicos da sociedade brasileira, como a questão racial e a extrema condição de miséria a vincarem o dia a dia de boa parte da população.

 

Segredos – Caitlin Wahrer

Tony sempre foi um bom irmão para Nick. Então, quando ligam do hospital avisando que o caçula está internado após sofrer uma agressão sexual, seu lado protetor é ativado, impulsionando sua busca por justiça.

Julia, esposa de Tony, é advogada e acredita que o caso logo será resolvido, mas que a família jamais será a mesma: a avalanche de comentários maldosos nas redes sociais e a superexposição com a cobertura obsessiva na mídia transformam a luta do marido em desejo por vingança.

Nick vive num estado de angústia ao perder o controle de tudo que ocorre após a agressão: lidar com a vergonha, a invasão de sua vida pessoal e, agora, a manipulação dos fatos por parte do agressor. Ele deseja apenas acordar daquele pesadelo e ter sua antiga vida de volta…

Enquanto a batalha jurídica ocorre, essa família precisa desenterrar segredos e lidar com assuntos que foram silenciados no passado, mas que não podem mais continuar encobertos.

 

Alerta de Tempestade – Maria Adolfsson

É noite de Natal quando a detetive Karen Hornby recebe uma ligação da Polícia Nacional de Doggerland. Ao norte do arquipélago, mais especificamente na ilha Noorö, o corpo de um idoso foi encontrado próximo à antiga pedreira da região, e o que parece ser um acidente à primeira vista logo se torna a cena de um assassinato.

Embora esteja afastada por licença médica devido ao ferimento sofrido em seu último caso, Karen aceita liderar a investigação para escapar das celebrações de fim de ano ao lado da família. Enquanto tenta cooperar com a polícia local para achar o culpado, outro crime acontece na véspera de Ano-Novo, porém o que mais perturba a detetive é a possibilidade deste segundo caso não estar apenas relacionado à destilaria de uísque onde encontraram a vítima, mas também aos próprios parentes que moram na ilha.

Dividida entre cumprir seu papel como policial e enfrentar seus fantasmas, Karen precisa mergulhar fundo em seu passado para desvendar quem é o assassino e resolver este mistério que irá mudar sua vida de uma vez por todas.

 

Meia-noite, Evelyn! – Babi A. Sette

Evelyn Casey precisa se casar. Do contrário, corre o risco de perder tudo o que mais ama no mundo: as terras onde cresceu, a casa pela qual lutou e, principalmente, a tutela da meia-irmã, Violet. Esse caos é culpa de três homens: o padrasto, que morreu na ruína; o irmão dele, conde Derby; e Harry Montfort, o mulherengo e inconsequente filho de seu padrasto.

Harry Montfort odeia os nobres, o reino e a alta sociedade inglesa, apesar de muito a contragosto ser um duque. Ele está satisfeito com a vida de empresário bem-sucedido em Nova York. Mas, quando o maldito tio entra com um pedido na Câmera dos Lordes para assumir o título que Harry abandonou e a própria rainha o convoca, ele se vê obrigado a retornar à Inglaterra para exorcizar de vez os fantasmas do passado.

Harry só não contava que a breve estadia no reino fosse virar um pesadelo — é o que acontece quando a monarca exige que ele se case e assuma suas responsabilidades como duque.

 

Ficaram curiosos para conhecer alguma dessas histórias?

@fala.werneck_trechosmeudestino

 

Melhores Trechos

 

“— Filha, você não pode saber o que será do futuro. A única coisa que eu te peço, Valentina, é que se permita viver. Você merece muito mais do que acredita.”

 

“— Se é assim, aproveite essa oportunidade e faça acontecer. Certos obstáculos precisam ser vividos e são eles que ditam o quanto o amor de vocês é forte e pode sobreviver ao tempo e à distância. Faça-a feliz, isso é o que importa, o resto se arruma.”

 

“Mas nunca, em momento algum eu senti algo como o que experimentava neste momento, aquele desmedido senso de proteção.”

 

Não é nenhum crime mostrar o que estamos sentindo, mesmo que seja através das lágrimas.

 

“Tempo. Parecia uma palavra sem muita importância, mas seu significado foi tudo o que nos trouxe até aqui.”

 

@fala.werneck_trechosnaestrada

 

Melhores Trechos

 

“Deb é minha irmã de alma, a minha outra metade, a única pessoa que me entende.”

 

“Para ser verdadeiro consigo mesmo, antes de mais nada é preciso ter uma noção clara de quem se é.”

 

“— Às vezes chorar é bom. Às vezes a gente precisa chorar.”

 

“Todo mundo tem potencial para fazer a coisa errada… Se fôssemos avaliados dessa forma, nenhum de nós se sairia bem. O que importa é o que a gente faz.”

@fala.werneck_surviveprimimp

 

Vocês sabem que eu não gosto de terror, né? Na verdade, tenho medo dessas histórias assustadoras que me fazem perder o sono.

 

Só que as histórias com zumbis representam um entretenimento que eu, vez ou outra, procuro para assistir. Já vi alguns filmes e duas séries, mas este é o primeiro livro que estou lendo com essa temática.

 

A primeira cena já mostra um acidente e o personagem principal tentando escapar daquele lugar, mesmo sem muitas esperanças.

 

E então, o capítulo seguinte nos leva ao passado e, aparentemente, ao início desse diário, que alterna escrita e desenhos com o objetivo de ajudar quem tenta sobreviver nesse mundo que se tornou caótico após uma explosão em um laboratório no Brasil.

 

Já gostei que a história se passa aqui, a situação começou no Amazonas, o Cláudio está em São Paulo e logo percebemos como aquela doença assustadora afetou a vida dele e destruiu a normalidade que ele conhecia.

 

A nossa torcida pelo Cláudio é instantânea, queremos que ele sobreviva e nos conte mais sobre o que aconteceu com o mundo.

 

E os desenhos e comentários criam uma dinâmica interessante para a leitura, revelando pistas e também mostrando pensamentos de forma natural.

 

O capítulo que começa na página 25 tem uma enorme carga dramática, quero ver como o personagem lidará com o que teve que fazer. Escolhas impossíveis pertencem a um mundo sombrio assim…

 

Você gosta de histórias de zumbi?

 

Se sim, aproveite para conhecer esse livro que está em campanha no Catarse.

 

E também me conte se imaginava que eu assistia histórias desse gênero. 😉