Fala Werneck

ossetemaridosdeevelynhugo

 

O que te define?

 

Os sete maridos de Evelyn Hugo é um livro muito bem escrito e estruturado, com uma narrativa envolvente sobre uma atriz famosa de Hollywood; que agora, aos 79 anos, decide revelar a verdade por trás de sua vida escandalosa.

 

No decorrer da leitura, vamos conhecendo diferentes camadas dessa personagem que é muito mais do que uma vida de ousadia e fama, e bem mais importante do que seus sete casamentos.

Inicialmente, julgamos se tratar de uma pessoa inconsequente que adora chocar e agir por impulso.

No entanto, acompanhamos a trajetória de uma jovem que desde nova tenta entender o seu lugar no mundo, e faz o que considera necessário para sair de uma situação de pobreza e realizar um sonho.

 

Nesse percurso, ela vai aprendendo a se conhecer, a lidar com as pessoas e os diferentes tipos de relacionamentos. Vai construindo sua percepção de sensualidade e o que isso significa.

Uma mulher marcada por escolhas, decisões que nem sempre foram pessoais, e tudo o mais que isso acarretou.

 

E além de termos Evelyn, essa senhora que decide revelar os segredos de décadas, há Monique, uma jovem repórter que é escolhida por Evelyn para fazer esse registro e nem sabe o motivo de ser a designada para a tarefa.

 

Duas vidas diferentes, duas mulheres que tentam compreender o seu valor e a sua relevância para o mundo.

 

O leitor ficará chocado quando o segredo que as une for revelado, e então tentará refletir sobre o que define uma pessoa.

Será que podemos definir uma pessoa pelo que ela mostra ao mundo?

Isso não representa tudo.

 

Vários fatores constituem uma pessoa. Existem circunstâncias, escolhas, sentimentos; tudo isso junto irá desenvolver a sua maturidade, construir a sua personalidade.

E dificilmente, você chegará à velhice sem arrependimentos. Mas, ainda assim, você pode manter a cabeça erguida por ter tentado da melhor maneira que conseguia, como Evelyn Hugo.

afilha

 

Primeira frase da página 100: “- Estava escuro no fundo do teatro. Ele estava sentado. Ela pensou que ele podia ser um pai.”

 

Do que se trata o livro: Uma família aparentemente “bem resolvida” precisa lidar com o desaparecimento da filha, Naomi. A mãe se mostra culpada por não ter percebido os indícios de que algo estava diferente na filha, o pai parece distante, e os irmãos reagem de uma maneira um pouco estranha.

 

O que está achando até agora?

O livro é envolvente e reveza capítulos no presente (que é um ano depois do desaparecimento) e no passado (dias antes do desaparecimento, no dia e dia seguinte). Essa escolha de narração é interessante porque instiga o leitor, você está acompanhando dias antes da situação e de repente, a mãe está vivendo sozinha e uma casa, um ano depois. O que será que aconteceu?

 

O que está achando da personagem principal?

Jenny, a mãe, é uma médica que tenta conciliar a vida profissional com a vida em família. Uma personagem que demonstra cansaço pela quantidade de coisas que faz e ainda assim, tenta estar próxima dos filhos, estar presente; mas percebe que Naomi tem estado bem distante e mesmo enquanto tenta “justificar” esse comportamento, ela se preocupa um pouco com a filha. Ao que parece, não o suficiente.

 

Melhor quote até agora: “Comuns, apesar de terem sido os últimos dias de minha vida em família; comuns, apesar de eu ter descoberto que quase todo mundo estava mentindo.”

 

Vai continuar lendo?

Essa família está parecendo estranha demais, o pai parece que só quer que tudo continue em curso, não demonstra interesse genuíno; e a reação da Naomi quando o irmão Theo a abraça é suspeita… E os ensaios fotográficos? Será que ele fez algo com ela? E o Ed? Por que tanta raiva? O que ele está escondendo? Muitas perguntas que ainda estão sem resposta… Quero ver o desenrolar dessa teia de mentiras e suspeitas.

 

Última frase da página 100: “- A casa na praia – disse ele.”

Fotor_15578459606040

 

O início da leitura já mostra que se trata de um drama envolvente e verdadeiro. Uma história sobre os bebês que são roubados, os bebês de famílias mais simples que somem e acabam sendo “entregues” para famílias ricas.

 

O livro é narrado pelo ponto de vista de duas mulheres bem diferentes e que vivem em épocas distintas. Uma mais jovem e a outra mais adulta.

 

O encontro que acontece no asilo dá indícios de que essas vidas estão conectadas. E se o que aconteceu foi realmente a entrega dessa criança, da menina recém-nascida, a vida é bem mais complicada do que podemos julgar, não é mesmo?

 

Uma família destruída pela perda e outra fortalecida pela chegada.

Quantas famílias passam por isso? Talvez mais do que possamos imaginar…

 

Um livro que quero muito continuar lendo!

Fotor_155784571351337

 

Primeira frase da página 100: “Tinha um ar meio infantil, bem familiar.”

 

Do que se trata o livro: Evelyn Hugo é uma atriz cuja fama durou décadas, e agora, quase aos oitenta anos ela decide que vai falar a sua verdade, a real história por trás de uma vida famosa, controversa e repleta de escândalos. Mas parece ter algo mais envolvido nisso tudo, porque ela diz que só falará com Monique, uma jovem jornalista desconhecida, que está tentando construir sua carreira. O que será que as envolve? Por que ela só quer revelar tudo para a Monique?

 

O que está achando até agora?

A história é interessante e envolvente; a escrita da autora me surpreendeu, porque é um livro (até agora) muito bem escrito e instigante.

 

O que está achando da personagem principal?

A Evelyn é uma senhora repleta de camadas, demonstra ser uma mulher que passou por muitos maus bocados, mas se fortaleceu com tudo isso. Ela é confiante, determinada, e decidiu que agora é hora de revelar tudo. Porém, é ela quem ditará as regras.

 

Melhor quote até agora: “Muito bem”, digo. “Me mostre quem você é de verdade, então. E eu vou tratar de fazer o mundo entender.”

 

Vai continuar lendo?

Sim! Quero descobrir a conexão entre a Monique e a Evelyn, e também saber do que mais a Evelyn teve que abrir mão em nome da sua carreira.

 

Última frase da página 100: “Foi nesse momento que comecei a gostar de Celia St. James.”

 

tardedemais

Trechos

“Torço para que, seja lá o que tenha acabado de acontecer entre nós dois, não seja tudo o que pode acontecer. Relacionamentos nunca começam bem com mentiras.”

 

“É um elogio simples, mas que me afeta mais do que eu queria.”

 

“Ele apenas me segura com nada mais do que um simples desejo de me reconfortar – e é a primeira vez que sinto isso.”

 

“Vivo neste planeta há vinte anos, e esta é a primeira vez que sinto alguém realmente se importar comigo.”

 

“-O amor… – continua Carter, sua voz um pouco mais arrastada e alta. – O amor não é encontrado. O amor encontra. – O olhar de Carter percorre toda a sala até achar o meu. – O amor o encontra no perdão após uma briga. O amor o encontra na empatia que você sente por outra pessoa. O amor o encontra no abraço que vem após uma tragédia. O amor o encontra na celebração depois de derrotar uma doença. O amor o encontra na devastação depois de se render a uma doença.”

 

“Que o amor os encontre em cada tragédia que enfrentarem.”

 

“Luke é bom. Ele é um dos bonzinhos. Eles realmente existem.”

 

“Até aquele ponto, eu achava que talvez a vida de todo mundo tivesse um equilíbrio entre coisas boas e ruins, e a única diferença era que a boa e a má sorte eram dadas a cada pessoa em momentos diferentes.”

 

“Quando preencho o espaço de seis centímetros e o beijo, sei que estou fechando um capítulo. Um capítulo sombrio que há mais de dois anos espero que acabe.”

 

E este beijo é apenas o começo de um livro totalmente novo. Um livro em que talvez milagres não sejam tão impossíveis assim.”

 

“Acho que essa é a diferença entre ser amada do jeito certo e do jeito errado. Ou você se sente amarrada a uma âncora… ou sente que está voando.”

 

“Não é uma água rasa na qual as pessoas normalmente andam na ponta dos pés, na altura dos tornozelos. Ele é o fundo do mar infestado de tubarões.”

 

“Eu poderia estar chorando ainda mais agora, decepcionada porque a humanidade não consegue ter o mínimo de moral.”

 

“Uma calma tranquila, me dizendo que minha alma, meu corpo, minha mente e minha perseverança se uniram num acordo.”

IMG_20190510_084802_677

 

O catálogo da Netflix é enorme e possui opções para todos os gostos. Por isso, trago hoje 5 opções para você aproveitar no domingo com a mãe.

 

  • Durante a Tormenta

Sinopse: Um defeito no espaço-tempo permite que Vera salve a vida de um garoto, mas isso a leva a perder a própria filha. Agora, seu único objetivo é recuperá-la.

Durante a tormenta é um filme muito bom sobre a história de uma mãe que nunca desistirá de sua filha e fará o que for necessário para estar com a menina novamente. Um bom suspense.

 

  • Milagres do Paraíso

Sinopse: Uma mãe reza por um milagre após a filha ser diagnosticada com uma doença incurável e é atendida, na forma de um acidente bizarro.

Um drama envolvente que mostrará a força de uma mãe e a sua fé inabalável. O filme mostra uma criança com um problema gravíssimo que passará por muitos problemas ruins, mas que tem uma mãe incrível. Forte, determinada e companheira. Um filme triste e lindo.

 

  • Os Vingadores

Sinopse: Homem de Ferro, Hulk, Capitão América, Thor, Viúva Negra e outros heróis se unem para salvar o mundo de uma terrível ameaça.

Se sua mãe gosta de aventura, ação e histórias com heróis, essa deve ser uma das melhores escolhas! Um filme divertido com vários heróis que conhecemos.

 

  • Meu Malvado Favorito

Sinopse: O vilão Gru desenvolveu um plano mirabolante para roubar a Lua. Mas ele tem percalços quando tem que cuidar de três órfãs.

Se sua mãe gosta de animações, assista Meu Malvado Favorito com ela e se apaixone também pelos personagens fofos e por essa história de formação de uma família diferente.

 

  • Simplesmente Acontece

Sinopse: Depois de muitas idas e vindas ao longo dos anos, os amigos de infância Rosie e Alex lutam para resolver o laço íntimo e duradouro que há entre eles.

Um romance repleto de problemas, desencontros e muito amor envolvido.

 

lidosdeabril

 

Grandes leituras em abril.

 

A retornada

Esse foi o livro de março da Tag Inéditos e a primeira leitura do mês de abril. Um livro fino, com uma capa “fofa” lembrando a praia, mas uma história complicada.

Nessa narrativa temos uma adolescente que vê sua vida virar de cabeça para baixo ao descobrir que sua família biológica é outra. O drama vivido pela menina nos faz refletir sobre o significado da palavra família. O que a define? O que realmente importa?

 

Rimas do País das Maravilhas

Um livro infantil interessante para ler poesia, pensar sobre significados “ocultos” e também estudar inglês. O livro traz uma seleção de poemas do Lewis Carroll traduzidos, e nas últimas páginas os originais em inglês. Interessante para professores e também tradutores, visto que traduzir poesia é algo bem difícil.

 

Temporada de acidentes

Essa foi a leitura do meu clube do livro FLI Entrelinhas. O livro conta a história de uma família que uma vez ao ano, todos os anos, passa por uma temporada de acidentes estranhos. Mas com o decorrer da leitura, o leitor nota que, talvez, os acidentes tenham outro motivo para existir. Uma fantasia é criada na mente da Cara para explicar os dramas pelos quais a família passa; problemas sérios, situações graves e o indicativo de que algumas pessoas passam pelas vidas dos outros de forma despercebida.

 

Tarde Demais

Comecei essa leitura bem receosa porque ouvi várias pessoas dizerem se tratar do livro mais pesado da autora, sendo que no ano passado li É assim que acaba que achei bem pesado e intenso. Li então Tarde Demais e mesmo sendo a história de uma jovem que sofre muito por circunstâncias da vida e se encontra presa em uma situação perigosa, não achei tão sombrio quanto É assim que acaba. Porém, é um livro que merece reflexão, pois quantas outras pessoas se envolvem em situações assim? E quantas vezes acompanhamos casos de pessoas que são criminosas e a justiça não as penaliza como deveria? O ser humano pode ser muito cruel, e os pensamentos machistas de alguns personagens nos indignam! Mas, infelizmente, representam pensamentos de pessoas reais, e por mais revoltante que seja, existem pessoas que justificam seus atos como o Asa.

 

A memória do mar

Um livro pequeno, colorido e triste. Khaled escreve com delicadeza sobre um tema grave. Através desse texto curto, ele representa pessoas da Síria que lembram da época em que o lugar ainda era bonito. E como isso está distante da nossa visão atual, não é mesmo? Quando pensamos na Síria só conseguimos enxergar destruição, guerra e sofrimento. Mas é importante lembrar que já foi um lugar onde muitas famílias viveram felizes e a cultura transbordava alegria.

 

Faça boa arte

Uma releitura que dispensa comentários! Faça boa arte é um discurso que o Neil Gaiman fez que fala sobre a importância de você acreditar na sua arte, lutar por ela e vivê-la mesmo com as dificuldades do dia a dia.

 

Os sete maridos de Evelyn Hugo

Uma grande leitura! O livro de ficção narra a trajetória de uma atriz famosa de Hollywood que teve uma vida escandalosa e decide conversar com uma repórter e contar a verdade por trás de tudo isso.

Uma leitura para refletir sobre o preço da fama e as diversas situações de fachada que as pessoas vivem. A vida nos exige muitas escolhas, e algumas são bem dolorosas. É difícil chegar à velhice sem arrependimentos.

 

O discurso – Estrutura ou Acontecimento

A última leitura do mês foi de estudo. Este livro fala sobre análise do discurso e Pêcheux, o autor, analisa se o discurso é uma estrutura que deve ser examinada como algo descritível, ou um acontecimento que é algo interpretável porque precisa considerar o contexto e o momento no qual o discurso ocorreu. Uma argumentação interessante sobre um tema relevante para as pessoas da área de Leras, e para todas as outras que também desejam compreender melhor os diversos discursos com os quais nos deparamos; compreendendo melhor a análise é possível absorver com mais profundidade as mensagens que estão sendo transmitidas.

 

temporadadeacidentes

Trechos

“Uma festa em que todos tiram suas máscaras humanas e mostram como são de verdade.”

 

“Todos nós nos tornamos especialistas demais em esconder segredos dos amigos.”

 

“É como se levasse a vida sempre no canto da moldura. A gente a esquece assim que vira a página.”

 

“O poema é uma quimera, com várias cabeças e línguas. Está desorganizado e confuso, e por isso mesmo é ainda mais bonito.”

 

“- Existe um lugar mágico chamado biblioteca – diz ele em tom solene, de brincadeira. – Não sei se você já ouviu falar.”

 

“Alguém que sempre esteve por perto e que eu sempre soube que seria a pessoa ideal, mas nunca me permiti acreditar, nem sequer pensar nessa hipótese.”

 

“Acho que minha família toda é assim: evitamos falar das coisas sobre as quais não podemos falar e cobrimos cada superfície para nos proteger do momento inevitável em que tudo virá à tona.”

 

“Depois, olho para Sam, e há coisas demais acontecendo no meu coração para conseguir expressá-las no papel.”

 

“A dor é poesia. Uma poesia que nos escancara, larga pedrinhas da verdade dentro de nós e nos costura de volta.”

 

tbrmaio

 

TBR de maio escolhida! 🙂

 

Confira as sinopses:

 

A filha – Jane Shemilt

Jennifer Malcolm tem uma vida perfeita. Ela e o marido são médicos bem-sucedidos, com carreiras estelares, um casamento amoroso, uma bela casa num bairro de classe média e três filhos. Quando a filha mais nova, Naomi, com apenas 15 anos, não volta para casa após a apresentação de uma peça escolar, Jenny se desespera. Horas e dias se passam sem notícias da caçula. A polícia é envolvida. Todos temem pelo pior.

 

As suas lembranças são minhas – Cecelia Ahern

Após perder o bebê num acidente e enfrentar uma separação, Joyce nunca mais será a mesma. Volta a viver com o pai viúvo, mas essa mudança não explica as estranhas sensações que a assaltam. Na verdade, ela se sente outra pessoa: vegetariana, adquire um gosto inusitado por carne; recita versos em latim de cor e descobre falar fluentemente italiano; surpreende a todos com um vasto domínio da história da arte.

 

Todas as cores do céu – Amita Trasi

Aos 10  anos, Mukta é forçada a seguir um ritual de sua casta que, essencialmente, torna-a uma prostituta. Para salvá-la deste horrível destino, um homem a resgata e lhe dá um lar. Tara, filha dele, cria um laço especial com a criança recém-chegada – um vínculo digno de irmãs. A amizade sofre um baque definitivo, entretanto, quando Mukta é sequestrada.

 

Doces dias ácidos – Taty Ferreira

Uma jovem arquiteta constrói projetos e plantas dos sonhos de outras pessoas, enquanto não consegue construir seu próprio caminho. Aos vinte e poucos anos, se vê frustrada, morando numa quitinete, enfrentando dilemas existenciais e sem planos concretos para o futuro. Após um grave acidente, encontra forças para traçar novas linhas de sua história.

aretornada

O que é família?

 

Existem diversos tipos de família: as de sangue, as de afeição, as de adoção. Algumas têm mais valor do que outras? Acreditamos que não. Se é uma família, merece ser cuidada e respeitada.

Família no sentido essencial: pessoas que se amam, se cuidam, que tentam juntas resolver as dificuldades e diferenças.

 

A retornada fala sobre família e como a perda da referência do que ela significa é prejudicial.

Uma adolescente que descobre “ser parte” de outra família, e é devolvida para eles.

 

O ser humano se adapta, sempre se adapta. Mas é triste acompanhar essa adolescente tentando entender o motivo dessa mudança brusca; o silêncio por parte da mãe que a criou e a indiferença demonstrada pela mãe biológica.

A garota vai, aos poucos, vivendo nesse lugar diferente, mais pobre, onde ela tem pais que nem a notam direito e irmãos que não gostam dela.

Apenas a irmã e o bebê representam seu ponto de equilíbrio. Uma irmã que a aceita, que a recebe de braços aberto e a ajuda.

 

Durante a busca por respostas, comprovamos como as pessoas podem ser egoístas, uma “mãe” que destrói a família que tem… Ainda assim, será que é possível chamá-la de mãe?

 

Um livro para refletir sobre um assunto sensível: muitas famílias são construídas com filhos adotivos, existem as que passam por um processo de adoção longo… E também as “adoções em família” que podem ser mais delicadas.

Porém, independente do tipo de adoção, essas crianças merecem ser acolhidas e amadas. Elas merecem uma família para que consigam equilíbrio, nesse mundo desequilibrado que vivemos.

Em nenhum momento elas devem ser devolvidas porque uma situação diferente surgiu na vida dos pais. Filhos são para sempre.

 

Muitos erram ao pensar que as crianças não entendem nada; elas entendem mais do que os adultos gostariam que elas soubessem… Elas devem ser protegidas, mas também merecem aprender o que é o respeito, por elas e pelos outros; e isso é um processo, exige acompanhamento, proximidade, envolvimento emocional.

Criança precisa de exemplo e a certeza de que uma família “de verdade” pode superar qualquer dificuldade.

 

Uma leitura sobre família e honestidade. Dois elementos que devem permanecer unidos e em consonância para construir um porto seguro para os que ali vivem.