Fala Werneck

IMG_0642

Trechos

 

“Acho que esta é a coisa (e a única coisa) pela qual eu tenho que ser grata ao meu pai: os filmes. Pela maneira como os filmes me fazem sentir. Pela onda mista de excitação e serenidade que sinto quando me acomodo no sofá,[…]”

 

“Mas mergulhei de cabeça e dei o meu melhor, porque essa é a única maneira de uma mulher encontrar seu lugar neste mundo.”

 

“- Pelo amor de Deus, Menina do Fogo, será que você pode me deixar ser um cavalheiro uma vez na vida? Deus sabe que é uma ocorrência rara.”

 

“- Não sei ao certo 0 que eu poderia ter a oferecer – diz ela -, mas eu só queria que você soubesse que estou aqui se você precisar de mim.”

 

“É uma corda longa, grossa e pesada, que se enrolou em mim cada vez mais apertado ao longo dos anos, tão gradualmente que eu sequer reparei, – e que está se desenrolando.”

 

“Porque, pela primeira vez na vida, com 29 anos na cara, eu me sinto, de fato, como uma adulta. Como uma mulher de verdade, não uma menininha confusa.”

 

“Nada faz muito sentido para mim. Não estou acostumado a me sentir assim. Mas sei que eu realmente gostaria que você estivesse ao meu lado enquanto eu descubro.”

 

“Eu só tenho essa sensação de que ela sabe que eu vou ficar bem. Ou talvez seja simplesmente o fato de eu saber que vou ficar bem.”

diadascriancas

 

Hoje eu trouxe uma lista com alguns filmes que lembram a minha infância. 🙂

 

  • 101 Dálmatas (1961)
  • Cinderela (1950)
  • A Bela e a Fera (1991)
  • O Rei Leão (1994)
  • Dumbo (1941)
  • Barbie: Lado dos Cisnes (2003)
  • Barbie: O quebra-nozes (2001)

 

Pretendo aproveitar o fim de semana para retornar à algum desses clássicos.

 

E você, quais filmes lembram a sua infância?

 

meuslivrosdatagineditos

 

A boa filha – Karin Slaughter

Um crime brutal devasta a família Quinn. Os suspeitos são os irmãos Culpepper, conhecidos na cidade como reincidentes na delinquência. Desintegrado, o clã dos Quinn tenta superar o trauma à sua maneira, até que, 28 anos depois, outro incidente violento trará à tona tudo aquilo que ficou guardado.

 

Stalker – Tarryn Fisher

Deprimida após sofrer um aborto espontâneo, Fig Coxbury passa seu tempo em praças observando as crianças que poderiam ser a sua filha. Até que uma menininha brincando com a mãe desperta uma obsessão. Logo, Fig se vê mudando de casa e de bairro não por necessidade, mas porque a casa vizinha oferece tudo o que ela mais deseja: a filha, o marido e a vida que pertence a outra pessoa.

 

A vendedora de livros – Cynthia Swanson

Denver, 1962: Kitty Miller já se acostumou à vida de solteira. Ela ama a livraria que gerencia com a melhor amiga, Frieda, e adora ser dona do próprio nariz. Ela pode ir aonde quiser, quando quiser, e não deve satisfações a ninguém.

Denver, 1963: Katharyn Andersson é casada com Lars, o amor de sua vida. Eles têm filhos lindos, uma casa elegante e bons amigos. É tudo que Kitty Miller um dia desejou para si – mas essa vida só existe em seus sonhos.

No entanto, toda vez que Kitty sonha com a vida de Katharyn, passa a achar aquela versão de si mais irresistível, mais verdadeira. Como escolher qual das duas vidas que leva paralelamente é a que quer viver? E qual será o preço de permanecer Kitty, ou se transformar de uma vez em Katharyn?

 

O quarto em chamas – Michael Connelly

Entre os casos não resolvidos da polícia de Los Angeles, não é comum que a vítima morra uma década depois do crime. Então, quando um homem falece em decorrência das complicações de uma bala perdida que o atingiu há dez anos, o detetive Bosch é designado para trabalhar em um caso cujo cadáver é recente, mas as demais provas estão praticamente desaparecidas. Com sua nova parceira, a jovem detetive Lucia Soto, Bosch precisa resolver um crime complexo, envolto em esquemas políticos.

A partir da bala alojada na coluna da vítima, eles deverão desenterrar informações antigas e perigosas, que revelam que talvez o tiroteio não tenha sido tão acidental quanto parecia ser.

 

 

cartasficticias

 

A leitura de Ainda não te disse nada me fez lembrar a emoção que as cartas nos traziam.

 

Escrever uma carta era instigante e angustiante ao mesmo tempo, pois você precisava escolher bem as palavras e o que era realmente necessário dizer naquele momento.

 

E receber uma carta era mais envolvente ainda. A alegria em receber aquele envelope endereçado à você por alguém que se importa ao ponto de “gastar” tempo lhe escrevendo e indo ao correio enviar essa mensagem.

 

Mas atualmente este ato parece perdido.

 

A tecnologia trouxe muitas facilidades e nos permitiu conhecer o mundo apesar das limitações que a vida traz, mas também ofuscou um ato cotidiano e agradável: o de conversar com alguém, falar sobre sentimentos e mandar notícias através de um pedaço de papel.

 

Em homenagem a esse sentimento nostálgico resolvi criar esse projeto “E se… Cartas Fictícias”, nele irei inventar cartas entre personagens de algum filme ou série que tenha assistido.

 

Espero que gostem e se entreguem também a essa atividade saudosa.

IMG_0641

Trechos

 

“O que apequena a vida? O desperdício de convivência, a incapacidade de ter algo que não seja superficial, a possibilidade de esquecer as noções importantes da vida que são: fraternidade, solidariedade, amorosidade.”

 

“A humanidade faz isso há séculos: para espantar seus fantasmas, ela escreve.”

 

“Nostalgia é uma lembrança que dói, saudade é uma lembrança que alegra.”

 

“[…] a paixão é a suspensão temporária do juízo e da razão, é uma expressão da irracionalidade.”

 

“Assim, o amor é uma sensação de pertencimento recíproco que almeja a plenitude.”

 

“Tendo em vista o tamanho da rede de comunicação na internet, criar um blog muitas vezes equivale a jogar uma garrafa no oceano, com a esperança do náufrago de que, algum dia, alguém encontre a garrafa.”

 

“A vida é complexa. E, quando tentamos explicar o complexo, não conseguimos viver o simples.”

 

“Eu tenho muitos livros ‘para uma emergência’ – para o caso de eu, que tenho amizade forte por livros, ficar sem uma alternativa de leitura.”

tbroutubro

TBR de outubro prontinha!

Confira as sinopses.

 

O segredo do meu marido – Liane Moriarty

Uma carta que não deveria ser lida.

Minha querida Cecilia, se você está lendo isto, é porque eu morri…

      Casada e mãe de três filhas, Cecilia descobre um envelope velho no sótão. Escrito com a caligrafia de John-Paul, seu marido, um aviso diz:

Para ser aberto apenas na ocasião da minha morte.

      Curiosa, ela abre a carta. E então o tempo para.

Fiz essa coisa terrível, inimaginável, e não consigo explicar.

      A carta de John-Paul traz uma confissão atroz que, se revelada, pode mudar para sempre a vida de sua família. Assim como a de outras pessoas.

Não diga isso a eles.

      Cecilia quer fazer a coisa certa, mas certa para quem? Se optar pelo silêncio, a verdade vai corroer seu coração. Mas, se revelar o segredo de seu marido, ela irá magoar aqueles a quem mais ama…

Sinto muito.

Com todo o meu amor,

John-Paul

 

Para continuar – Felipe Coubert

Envolver-se com a jovem Ayako é a oportunidade perfeita para Leonardo César esquecer sua vida tediosa e perigosamente limitada, tudo por culpa de um coração defeituoso.

Enquanto isso, com a ajuda de seu avô, Ayako tem a difícil missão de manter inacessível um porão de dimensões que vão além da loja de luminárias que ela gerencia, repleto de milhares de lanternas orientais, cujo mistério envolve os habitantes do bairro da Liberdade.

A partir dos crescentes encontros entre Leonardo e Ayako, uma nova lanterna surgirá para os dois. Eles terão que protegê-la com afinco, ou tudo que construíram juntos poderá desaparecer a qualquer momento.

O que ninguém conseguiria prever é que Ho, um jovem chinês também apaixonado por Ayako, colocaria em risco o futuro desse objeto. E com ele, o sentimento mais importante que dois seres humanos já experimentaram.

 

Trabalho organizado – Thais Godinho

Um dos grandes temas atuais quando se fala em trabalho é sobre a mobilidade e a possibilidade de trabalhar em formato home-office ou em qualquer lugar. No entanto, precisamos nos atentar também para a conectividade permanente. Sabendo que não tem volta, não podemos viver dessa forma e ainda assim manter a sanidade, a tranquilidade e as nossas escolhas positivas sobre o caminho que desejamos trilhar na vida? Como podemos desenvolver uma rotina de trabalho mais gentil conosco?

 

Tipos incomuns – Tom Hanks

Um affaire agitado e divertido entre dois grandes amigos. Um ator medíocre que se torna uma estrela e se vê em meio à frenética viagem de divulgação de um filme. O colunista de uma cidadezinha com um ponto de vista antiquado sobre o mundo. Uma mulher se adaptando à vida na nova vizinhança após o divórcio. Quatro amigos e sua viagem de ida e volta à Lua num foguete construído num fundo de quintal.

Essas são apenas algumas das pessoas e situações que Tom Hanks explora em sua primeira obra de ficção, uma coletânea de histórias que disseca, com grande afeição, humor e perspicácia, a condição humana e todos os seus defeitos. Os contos têm algo em comum: em todos, uma máquina de escrever desempenha um papel – às vezes menor, às vezes central. Conhecido por sua sensibilidade como ator, Hanks traz essa característica para sua escrita. Ora extravagante, ora comovente, ocasionalmente melancólico, Tipos incomuns deleitará e surpreenderá seus milhões de fãs.

IMG_0642

Lista

Uma noite com Audrey Hepburn é uma leitura muito divertida, adorei o livro!

Durante a narrativa, a personagem cita alguns filmes e decidi montar essa lista para que depois possa assistir a todos (e claro, rever Bonequinha de Luxo).

 

  • Quanto mais quente melhor
  • A felicidade não se compra
  • A princesa e o plebeu
  • Casablanca
  • Crepúsculo dos deuses
  • Cidadão Kane
  • Bonequinha de luxo
  • Matrix
  • Os Guardiões da Galáxia
  • As cinzas de Ângela
  • Sabrina
  • Clube da luta
  • Psicose
  • O mágico de Oz
  • Harry Potter
  • Charada
  • Cinderela em Paris

 

 

IMG_0633

Trechos

“Entendi que fazer silêncio é um pouco mais do que calar a voz.”

 

“Fé é uma entrega.”

 

“A razão não conhece tudo, mas atribui o desconhecido ao caminho que falta percorrer, e não ao absoluto.”

 

“Ninguém tem uma vida extraordinária. Todo mundo precisa administrar um cotidiano absolutamente comum.”

 

“É na percepção das escolhas que fazemos diariamente que nós identificamos se estamos construindo o céu ou o inferno.”

 

“É na solidão pessoal que as convicções se firmam.”

 

“Todas as minhas tendências adâmicas, tudo aquilo que de alguma forma me expõe miserável, o meu ciúme, a minha vaidade, à medida que eu vou tomando consciência disso, vou ficando mais livre para ser ou não.”

 

“A ciência não seca lágrima, a religião seca, ou pelo menos dá dimensão à dor.”

 

“Toda vez que precisamos falar de realidades que são atemporais, a partir de uma linguagem temporal e limitada, eu esvazio o significado do que pretendo dizer.”

 

“A diferença como um ponto de encontro, e não de divisão.”

 

umanoitecomaudrey

 

Descobri essa Tag no blog Palácio de Livros e decidi fazer também… Então, vamos lá.

 

Primeira frase da página 100: ” – Ela parece um pouco… difícil de aguentar, a sua irmã.”

 

Do que se trata o livro: O livro conta a história de Libby, uma atriz frustrada com a carreira e com o rumo que sua vida está tomando, que se sente sugada para esse meio cinematográfico pela mãe e pela irmã. Ela acaba se envolvendo em muitas situações cômicas e trágicas ao mesmo tempo. É uma comédia muito bem humorada sobre uma mulher que precisa encontrar o seu caminho e que ama filmes clássicos, especialmente Bonequinha de Luxo.

 

O que está achando até agora?

Estou adorando a leitura. A autora tem uma escrita leve que nos faz sorrir espontaneamente com suas situações e diálogos. O livro está me fazendo lembrar muito a escrita da Meg Cabot em Garoto encontra garota. 

 

O que está achando da personagem principal?

Estou achando a Libby muito engraçada. Ela é uma pessoa boa que acaba se metendo em confusões por querer agradar ou fazer o que os outros esperam dela. Já é possível perceber que há um longo caminho pela frente que envolve descoberta e aceitação.

 

Melhor quote até agora: “Pela maneira como os filmes me fazem sentir. Pela onda mista de excitação e serenidade que sinto quando me acomodo no sofá.”

 

Vai continuar lendo?

Com certeza! Quero ver em que outras loucuras ela vai se meter e se ela vai finalmente dar um “chega pra lá” na irmã folgada. Se ela vai perceber também o que sente pelo Olly…

 

Última frase da página 100: “Você sabe, o tipo de pessoa que não consegue apreciar um bar silencioso do interior ou um bom e velho churrasco de domingo com a família.”

 

IMG_0625

Lista

Tirando de letra: orientações simples e práticas para escrever bem é um livro simples que de forma exemplar explica e exemplifica conceitos do português para facilitar e aprimorar a escrita. Além disso, durante o livro os autores citam outras obras sobre escrita.

Por isso, resolvi criar essa lista com os títulos citados para que posteriormente eu possa lê-los também. Visto que esse assunto é muito interessante e importante. Independente da área de atuação é fundamental que valorizemos o nosso idioma, buscando sempre adquirir mais conhecimentos e “mostrar” a nossa língua materna para o mundo da melhor maneira possível.

 

  • Elements of Style – William Strunk Jr. e E. B. White
  • Keys to Great Writing – Stephen Wilbers
  • On Writing Well – William Zinsser
  • The Sense of Style – Steven Pinker