Fala Werneck

melhoresdeabril

 

  • Melhor livro: A rede de Alice. Uma leitura completamente envolvente e impactante, que acompanha a jornada de duas mulheres em diferentes épocas; mostrando como a guerra pode afetar e transformar as pessoas, estejam elas no meio desse conflito ou não. “A rede de Alice” apresenta a história de espiãs e de uma das maiores redes de espionagem durante a Primeira Guerra Mundial. Um livro arrebatador.

 

  • Melhor quote: “É fácil confundir um desejo com um fato, uma esperança com uma mentira, um mundo melhor com aquele que existe de verdade.” (Os sonhadores – Karen Thompson Walker)

 

  • Melhor filme: Suprema. O filme foi o melhor do mês porque é baseado na história real de uma advogada que lutou e enfrentou incontáveis desafios para cursar Direito, conseguir seu diploma e lutar pelo seu respeitado lugar em um tribunal. Uma mulher que precisou lidar com o descaso, o deboche e a sua desvalorização, simplesmente por ser mulher. Mas ela conseguiu mostrar o seu valor e adquirir a confiança necessária para se tornar uma grande advogada. Um filme que mostra o valor dos estudos, da disciplina, da pesquisa e do empenho.

 

  • Melhor série: Virgin River. Sem sombra de dúvidas, a melhor série do mês! Uma série sobre amor, superação, luto e recomeço. Sabe aquelas séries que aquecem o coração e te deixam leve e feliz quando assiste? Essa é assim! Mel é uma enfermeira que se muda para uma cidade do interior numa tentativa de superar o passado e encontrar um lugar ao qual possa pertencer. Ela logo é acolhida por boa parte da cidade, ainda que a relação com alguns seja complicada. Amei demais essa série! Assistam!  🙂 E se souberem de alguma outra nesse estilo, me contem nos comentários.

 

melhoresdemarco

 

  • Melhor livro: Minha Lady Jane. Um romance histórico “inspirado” na realidade da vida de uma rainha que só governou por 9 dias. Um livro com romance, fantasia e algumas intervenções adoráveis das autoras. Um livro para entreter, mas também refletir sobre o preconceito descabido que muitas pessoas têm. As pessoas temem o diferente, sem perceber que esse diferente pode estar dentro delas próprias. A transformação que a aceitação gera é muito bonita também. Leiam e vocês vão entender do que estou falando. 🙂

 

  • Melhor quote de livro: “Diria até mesmo que sua mãe era dura, como uma pedra que impõe sua rigidez contra as pressões mais profundas do oceano, suave ao toque e no entanto inquebrável.” (Herdeiras do Mar – Mary Lynn Bracht)

 

  • Melhor filme: Por lugares incríveis. Esse é um daqueles filmes para chorar. Mas que tem uma mensagem bonita e uma (não tão bonita, mas) importante. Ele mostra como a dor da perda pode corroer alguém, e como é importante ter alguma pessoa para te ajudar a passar por esse processo de aceitação; porque tragédias acontecem, e a gente não pode “voltar no tempo” para mudar algo. Por outro lado, o filme também mostra como o sofrimento pode ser tão internalizado e silencioso que ninguém percebe que a pessoa ao seu lado está perdida. No fim das contas, é um filme bonito para mostrar a importância das amizades, do amor, para superar um trauma. Porque a vida segue, o mundo continua girando, e você precisa aprender a enxergar as coisas belas novamente.

 

  • Melhor série: The Circle (EUA). Uma série que é um reality show diferente, com algumas pessoas inusitadas e outras clichês. Mas que te faz rir bastante e torcer por alguns. Além daqueles grandes momentos de vergonha alheia, sabe como? Kkkk.

 

aniversariofalawerneck

 

Hoje o blog está fazendo 4 anos!

4 anos que tirei um projeto antigo do papel e comecei a falar de literatura por aqui. (Além dos filmes e séries também.)

 

Mais de 600 fotos no Instagram e mais de 300 posts no blog…

Muitos aprendizados, tantas conversas boas e leituras que eu não imaginaria serem tão incríveis!

 

Por isso, hoje venho aqui agradecer a todos vocês que me acompanham, que indicam livros surpreendentes e séries inesquecíveis.

Obrigada também aos autores parceiros pela confiança e por trazerem ao mundo histórias únicas!

 

Que muitos outros anos venham e que o aprendizado continue sendo uma constante na vida de todos nós.

 

Um beijo no coração!

virginriverehartofdixie

 

Hoje venho falar de duas séries que gosto muito e que, em alguns pontos, são bem parecidas. Sabe aquele tipo de série que começa bem leve e você fica querendo assistir um episódio após o outro? Essas são exatamente desse tipo!

Então, bora comentar sobre elas? E se você lembrar de mais alguma similaridade ou souber de outra série desse tipo, me conta nos comentários.  🙂

 

  • Tanto Hart of Dixie quanto Virgin River possuem como personagem principal uma mulher da área de saúde (uma médica e a outra enfermeira), que decide sair do emprego na cidade grande e se mudar para o interior.

 

  • Tim Matheson é o ator que faz o médico, dono da clínica da cidade, nas duas séries.

 

  • Tanto a Zoe quanto a Mel se envolvem em um triângulo amoroso.

 

  • Virgin River tem uma carga dramática maior do que Hart of Dixie.

 

  • Já Hart of Dixie é uma série com muitos episódios a mais do que Virgin River.

 

  • As duas séries têm prefeitos que se envolvem bastante na vida das pessoas da cidade. Só que em Hart of Dixie é o Lavon e em Virgin River a Hope. Dois personagens muito cativantes.

 

  • Virgin River é baseada em um livro com o mesmo título.

 

Se você gosta de séries que mostram mulheres fortes, que precisam lidar com os problemas e se adaptar às novas situações, dê uma chance para essas duas. Aqueça seu coração com essas duas cidades interioranas repletas de pessoas envolventes, amigas, por vezes confusas e tão humanas. Repletas de erros, equívocos, acertos e aprendizados.

 

melhores de fevereiro

 

  • Melhor livro: Entrementes. Um livro de contos muito bem escrito. Que retrata situações cotidianas da vida de pessoas simples. Uma obra feita para nos mostrar que a vida simples não deixa de ser especial, só depende da maneira como a encaramos.

 

  • Melhor quote de livro: “Quanto mais você ler, quanto mais escrever, mais ideias aparecerão. Elas cairão como confetes ao seu redor, e a sua única dificuldade será decidir quais aproveitar e quais deixar cair no chão.” (Uma escada para o céu – John Boyne)

 

  • Melhor filme: Judy – Muito além do arco-íris. Quando pensamos em Hollywood podemos nos iludir com todo o glamour, mas como esse filme mostra bem, a indústria cinematográfica pode ser absurdamente controladora e indiferente ao bem-estar de seus profissionais. A Judy foi uma pessoa que sofreu muito por isso, e que passou quase a vida toda nesse meio, o que cobrou seu preço.

 

  • Melhor série: Não tem jeito, vou ter que escolher novamente ‘Outlander’! Terminei de assistir a 4ª temporada e já estou empolgada com a 5ª. Estou gostando de acompanhar essa vida deles na América, ainda mais agora com a Brianna também. A nova temporada promete!

 

E vocês, o que andam lendo ou assistindo?

Quais foram os últimos favoritos?

 

melhoresdejaneiro

 

Mais um post suuuper atrasado… rs

 

  • Melhor livro: As sete mortes de Evelyn Hardcastle. Que leitura incrível, impactante e cativante! O livro é enorme, mas mesmo assim você devora para descobrir porquê o Aidan está nessa mansão e quem é o assassino. A escrita do autor é bonita e a conexão entre os personagens e as viagens no tempo representam um fator simplesmente magnífico. Um livro de tirar o fôlego e com um plot twist que não dá para prever.

 

  • Melhor quote de livro: “Não há nenhuma proteção especial quando atravessamos a linha invisível entre a vida comum e o mundo paralelo em que tragédias acontecem.” (Até que a culpa nos separe – Liane Moriarty)

 

  • Melhor filme: 1917. Um filme impactante sobre a guerra. Dois amigos estão numa jornada arriscada para salvar um pelotão; e a medida que acompanhamos, parece que estamos vivendo aquilo tudo com eles: a desolação, o sofrimento, a raiva pela injustiça de tudo isso, uma guerra que está destruindo lugares e dizimando populações. É chocante constatar como a morte pode ser algo indiferente para tantos, e como algumas pessoas simplesmente não conseguem receber ajuda e retribuem com violência. Um filme que vale ser visto pela fotografia impressionante e pelas reflexões que gera. Guerras são sem sentido e só causam destruição, deixando um rastro de dor por onde quer que passem.

 

  • Melhor série: Outlander. Assisti em janeiro mais da metade da 4ª temporada e estou adorando! Essa série tem altos e baixos, por isso acabo achando algumas temporadas meio “mais ou menos”. Mas essa 4ª é interessante, há toda a questão da colonização, da escravidão e também do convívio com os índios. É difícil pensar, conseguir imaginar, como (se) conseguiríamos viver nessa época com a vivência e o conhecimento de mundo que temos hoje, especialmente no que se refere à história e tudo que sabemos que aconteceu. Além da percepção de que tanto se perde com o passar do tempo, tantas tradições e culturas que parecem “evaporar” e raramente são mencionadas nos livros de história.

 

Em breve já trago os melhores de fevereiro.

melhoresdedezembro

 

  • Melhor livro: Daqui pra baixo. Um livro com um formato diferenciado e uma história importante. Falar sobre o ciclo infinito da violência é falar sobre a injustiça, sobre as vozes que gritam sem jamais serem ouvidas e os inocentes que têm seu sangue derramado por equívocos e escolhas erradas. Um livro para refletir sobre o perigo da acusação sem provas concretas e do erro de se resolver algo violento com violência. Porque dessa maneira a dor só é perpetuada e se expande para a vida de muitos.

 

  • Melhor quote de livro: “- É só a vida, Will. Vai acabar antes que a gente se dê conta.” (A cinco passos de você – Rachael Lippincott)

 

  • Melhor filme: Dois papas. Esse filme é incrível! Porque nos faz refletir sobre muitas coisas, mostrando de maneira tocante as falhas e conquistas humanas. Falar dos papas é falar de religião, de fé, de rituais e de redenção. Eles têm falhas e questionamentos como qualquer ser humano, mas estão diariamente lutando por um mundo melhor, mais justo; ainda que, em alguns momentos, eles mesmos sejam os auxiliares da desgraça. A ameaça de sofrimento pode ser o suficiente para que alguém use os outros para se proteger; mas quando os erros são compreendidos e a pessoa tenta mudar, ela descobre que o passado será uma eterna mancha, porém o futuro não precisa ser igual; é preciso lutar diariamente pelo bem, pela igualdade e pela liberdade das pessoas. A fé não deve representar um ato cego, mas um caminho de luz e crescimento. E a humanidade ainda precisa de muito amadurecimento.

 

  • Melhor série: O mundo sombrio de Sabrina. Todos nós conhecemos as histórias de Sabrina, a bruxinha que não queria fazer maldades e vivia se metendo em confusões. Lembram-se do filme dela que passava na Globo? Então, essa série é completamente diferente! Sabrina é sombria, ainda que tenha um coração bom, faz muitas coisas questionáveis. E a história envereda profundamente pelo “caminho das trevas”, existe uma igreja da noite, com seus próprios rituais e devoções. Sabrina é bruxa e humana, então vive constantemente dividida entre as exigências desses dois mundos. Nessa segunda temporada ela já aceitou seu lado sombrio e está ficando cada vez mais poderosa.

 

E para vocês? Quais foram os melhores do mês?

melhoresdeoutubro

 

  • Melhor livro: Uma nova chance para o Sr. Doubler. Uma leitura muito diferente, sensível e cativante, porque apresenta um personagem principal diferente do que costumamos ler: o Sr. Doubler é um idoso. A história nos mostra as experiências e os desafios que esse recluso senhor enfrenta ao se ver diante de uma situação inesperada, que é a doença da governanta, e isso o coloca para encarar seus medos e o “mundo”; e o que ele descobre sobre si mesmo e as pessoas com quem passa a conviver nos mostra a importância de se abrir para novas experiências e despertar um olhar diferente para o que nos cerca, quem nos cerca, independente da idade.

 

  • Melhor quote de livro: “As pessoas associam que viver intensamente era sinônimo de encarar aventuras e fazer o que tem vontade, mas, para mim, viver intensamente era aprender aos poucos e com coragem a se amar em um mundo que fazia questão que nos odiássemos.” (13 segundos – Bel Rodrigues)

 

  • Melhor filme: A cabana. Um lindo filme (baseado em um livro) sobre fé, amor, perdão e esperança. Mack é um pai desiludido, que vive triste e sem conseguir enxergar muita coisa além da sua dor; ele tem se afastado cada vez mais da mulher e dos filhos. Até que um dia, recebe uma carta que mudará tudo, e através desta jornada na cabana com companhias muito especiais, ele vai conseguir perceber o que está além da sua dor, e descobrir que essa dor pode ser transformada, se ele permitir. E assim, ajudar também com o sofrimento das pessoas próximas a ele. Um filme que nos mostra o perigo de julgar os outros, porque não sabemos quase nada das jornadas deles; e a importância da fé para auxiliar a compreensão e aceitação das atitudes dos outros e o perdão.

 

  • Melhor série: O conto da aia. Definitivamente, uma das melhores séries do ano! O conto da aia mostra uma sociedade completamente modificada após uma crise de infertilidade que afeta a população. As mulheres retornam ao seu lugar retrógrado e restrito ao ambiente da casa e à função de cuidar da casa e do marido. As mulheres não podem mais ler. E aquelas que são férteis, são usadas como aias, indo de uma casa importante para outra, gerando os filhos das famílias; elas vivem para servir apenas esse objetivo, permanecendo em uma casa até que um bebê nasça. Uma história onde as mulheres são dominadas e subjugadas com “justificativas” religiosas. Uma grande série (também baseada em um livro).

 

melhoresdesetembro

 

  •  Melhor livro: Ainda não te disse nada. Um livro bonito, romântico, envolvente; que nos mostra a importância e a força do amor. Além de nos lembrar do poder que as palavras têm para nos conquistar, dando brilho aos momentos e alegria ao coração.

 

  • Melhor quote de livro: “A vida é apenas um rito de passagem, uns vêm e passam despercebidos, outros fazem estardalhaço e garantem um lugar na posteridade.” (O poeta e o guarda-chuva – Ricardo Tagliaferro)

 

  • Melhor filme: Tolkien. Esse filme é lindo! Fala sobre a vida desse escritor singular, suas dificuldades, seus aprendizados, seu tempo na guerra e como tudo isso moldou a sua criatividade e escrita. O filme mostra como era incrível a relação do Tolkien com a linguagem, como ela se tornou uma parte essencial da sua vida e como ele se dedicou à criação da sua obra e seu universo próprio.

 

  • Melhor série: The first – Viagem à Marte. Uma série diferente sobre viagem espacial, porque o foco maior é na vida dos astronautas e as dificuldades e os desafios que eles enfrentam para realizar uma viagem dessas. Mostrando as questões emocionais e familiares que envolvem uma viagem que pode (ou não) ser só de ida.

 

Melhores de Julho

 

  • Melhor livro: Negação – Uma leitura grave e importante, ler sobre esse julgamento foi útil para refletir mais seriamente sobre algumas crueldades da natureza humana e a deturpação de comprovações históricas é algo assustador, porém muito real. Um livro para mostrar que devemos lutar pelas pessoas e pelo respeito às suas memórias.

 

  • Melhor quote de livro: “Não sei por que é tão difícil para as pessoas admitirem que, às vezes, são simplesmente babacas que fazem merda porque não esperam ser descobertas.”

 

  • Melhor filme: O Rei Leão – Assistir essa nova versão do clássico de animação no cinema é revisitar a infância, lembrar das amizades inocentes e do amor incondicional. Algumas histórias nos tocam e permanecem conosco, mesmo que o tempo continue passando velozmente. Essa foi uma produção à altura da original.

 

  • Melhor série: Dilema – Uma série interessante e perturbadora pelo nível de manipulação da personagem principal. O ser humano tem a capacidade de deturpar muitas coisas, e ainda que distorça a realidade, alguns acreditam que estão fazendo algo bom. Como Anne.