Fala Werneck

@fala.werneck_cesar

 

Finalmente cheguei ao livro que estava mais curiosa para conhecer.

 

O grande e imponente César.

 

O livro é narrado pelo Décimo Bruto, um dos homens mais próximos de Júlio César, alguém que esteve com ele em batalhas importantes e ofereceu conselhos que se tornaram boas resoluções para alguns problemas enfrentados, como durante o motim antes da campanha na África.

 

Décimo Bruto está escrevendo as memórias enquanto está detido e espera descobrir qual será a sua condenação em meio a essa guerra civil após o assassinato de César.

 

Ele fala sobre algumas batalhas, mostra a força de César com os seus homens e como ele era alguém que, invariavelmente, conquistava (e até dominava) todos.

 

Ao falar dos egípcios, como Augusto, ele mostra o quanto achava estranho aquele povo e seus costumes tão focados nos deuses e suas percepções da morte.

 

As conversas com César mostram profunda admiração e também discernimento para captar quem o homem era e quem demonstrava ser em público.

 

A história é envolvente e intrigante como as outras da série. Acompanhamos as conversas paralelas de diversas figuras importantes e começamos a perceber a forma que as reflexões estão convergindo para um mesmo ponto: o poder de César só aumenta, suas conquistas só expandem e o que mais esse homem pode querer agora?

 

O medo de uma dominação maior está unindo muitas mentes e conversas “perigosas” estão surgindo, o início da conspiração que acabará com César está sendo construída.

 

O primeiro encontro de César e Cleópatra já aconteceu e foi relatado, mas estou querendo saber se o Egito aparecerá novamente. A relação deles é questionável, porque é difícil dizer quem quer se aproveitar de quem…

 

Como já li “Marco Antônio e Cleópatra”, sei bem como será o destino dela, só que ainda quero saber como ela chegou àquele ponto.

 

E César, hein? Quando começará a perceber que estão tramando contra ele? Será que perceberá e não acreditará no risco?

 

Vamos ver…

 

Agora me conte, você já deu uma chance para os livros do Allan Massie?

 

Tem curiosidade em saber mais sobre César também?

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/39fT9wv

@fala.werneck_confrariaquotes

 

Melhores Trechos

 

“Alguns dos meus dias nascem assim,

então, deixem-me na minha solitude,

não violem minha paz azul.”

 

“Nem todo choro é de dor,

Nem toda lágrima é triste,”

 

“Paz e bem com intenção

Onde há trevas, leve a luz

No badalar do coração

É a fé que te conduz.”

 

“Se um dia você souber

Quantas tantas você é

Só vai fazer o que quiser!”

 

“Um livro é uma janela, um portal

Nos transportando pr’outros mundos

E nestes dias, até por meio digital!”

 

“Sou presente-passado-futuro dos meus ancestrais.

Sou de algum modo vida e culturas em resistência.”

 

“Vida, essa grande viagem.

Dia a dia, mês a mês.

Onde somos aprendizes

E PH dês.”

 

“Gosto das reticências, elas instigam, insinuam

Diferentes do ponto, que faz da lógica seu altar,

Eles, os três pontinhos, permitem ao objeto criar”

 

“Que seja dado o basta…

Para essa dor um aceno…

Que a dignidade para todas se faça…

Vida? Nenhuma a menos!”

 

“Ter um quintal é como

ter o mundo só para você,

e poder andar, correr, pular e ser feliz

a cada florescer do dia.”

 

@fala.werneck_quotesumaherdeira

 

 

Melhores Trechos

 

“Claro que gostava de ler romances, assim como era apaixonada pelas teorias filosóficas e científicas. Cada gênero de leitura atiçava sua mente de uma forma diferente.”

 

“De uma coisa possuía a absoluta certeza: sua vida jamais seria monótona ao lado daquela menina.”

 

“— É um pouco tarde para isso, minha Lizzie. Desde o dia em que te conheci, todas as outras mulheres perderam a graça.”

 

“Marcus adorava quando Lizzie o chamava assim, mas nem morto iria admitir isso para ela.”

 

“Ela não o fez, apenas deixou-se acreditar que tudo era real, o noivado, o beijo e a sensação maravilhosa de estar protegida.”

 

“O que mais chamou sua atenção foram as estantes repletas de livros. Aquele lugar era seu sonho de criança.”

 

“Nenhum dos dois queria interromper o momento e Elizabeth apenas se permitiu ser abraçada pelo tempo que pudesse.”

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/38j3tTT

@fala.werneck_confrariaresenha

 

Editora: Bem Cultural.

Páginas: 141.

 

Conversa cativante

 

A antologia reúne 41 poetas, de diferentes regiões do país, que possuem em comum o amor pela escrita e o afeto pela poesia.

 

Poemas que foram criados durante uma época assustadora e sombria: o início desta pandemia que ainda estamos enfrentando.

 

Cada poeta mostra sua voz e evidencia algo através da sua escrita.

 

Alguns falam sobre o amor romântico, que pode florescer ou minguar.

 

Outros falam do amor pela natureza, pelo nosso mundo que está precisando de muito cuidado e atenção.

 

O amor-próprio também tem o seu espaço, e as palavras nos lembram de como ele necessita de valorização.

 

Alguns poemas falam de resistência e das vozes que querem calar, mas merecem ser ouvidas e finalmente reconhecidas.

 

Poemas que nos falam sobre a delicadeza dos sentimentos e a serenidade que podemos construir para a nossa existência.

 

Escrever poesia é colocar para o mundo o que transborda dentro de si e assim acalentar outros corações.

 

Cada leitor dará destaque a um trecho diferente, se identificará mais com um poema do que com outro.

 

A poesia é sempre uma escrita com sensação de reticências, instigando o leitor a ir além, sentir mais, refletir de novo.

 

Porque como bem disse uma das poetas, nós somos passado, presente e futuro, mostrando a cada dia o que nossos ancestrais construíram e também moldando o futuro que permanecerá por algum tempo.

 

Esta é a quarta antologia e que muitas outras sejam feitas para que os leitores conheçam essa pluralidade de escrita e lembrem que o momento de falar para construir um mundo melhor é o agora.

 

Com respeito e sensibilidade.

 

Dedicação e persistência.

 

A cada dia.

💜

@fala.werneck_folkloreprimeirasimpressoes

 

O folclore brasileiro é muito rico e, com suas diversificadas lendas, impressiona crianças e adultos.

 

A coletânea “Folk-Lore” reúne nove autores, que recontam essas histórias de uma forma mais sombria e completamente envolvente.

 

No primeiro conto, conheceremos a Cuca e algumas crianças que acabaram entrando em seu caminho devastador.

 

A mula sem cabeça é uma mulher que cativa e se torna inclemente na noite de lua cheia. Seria possível impedi-la? Você desvendará esse mistério na segunda história.

 

Dessa amostra que eu li, o conto mais surpreendente é o do Saci. A descrição que o autor fez e a forma como a história segue mostram não um menino que adora traquinagens, mas um homem forte e resoluto em suas atitudes para proteger as suas terras de intrusos. Sempre pensamos no Saci como uma criança inconsequente, né? Gostei dessa versão mais madura e conectada com os pássaros também, agindo para proteger a natureza de quem quer destruí-la.

 

O quarto e último conto que li até agora fala sobre uma versão assustadora do velho do saco. E uma criança que descobrirá o que há em seu interior.

 

Histórias curiosas, diferentes versões que sempre fascinam.

 

Já posso imaginar que as próximas serão tão boas quanto essas quatro primeiras.

 

Preciso salientar também o quanto as ilustrações estão incríveis! Cada abertura de capítulo nos intriga sobre o conto que vem pela frente.

 

Você gosta de lendas folclóricas?

 

Qual conto mais te intriga?

 

@fala.werneck_primeirasimpressoesdestaterra

 

Há algum tempo eu não escutava um audiolivro e estou empolgada e surpresa com este que estou ouvindo no app Tocalivros. Os sons, as vozes, tudo isso cria a ambientação de forma impressionante e a gente se sente presente na cena, observando tudo que está acontecendo!

 

A história fala sobre um Brasil diferente, problemático além do nível que conhecemos; um lugar marcado por muitas doenças, algumas bem contagiosas, e tantos problemas de saúde que muitas famílias “optam” por encurtar a vida de seus idosos nos lugares dedicados à eutanásia.

 

Há trens para carregar os mortos, com barulhos que continuam por um tempo, lembrando aos vivos todos os perigos que os cercam.

 

A constituição foi mudada, a palavra “político” foi extinta e estabeleceu-se um novo termo para definir essas pessoas: “Astuto”. E tem sentido, né?

 

Em meio ao que acontece no país, começamos a acompanhar Clara e Felipe, que estão terminando o relacionamento em um restaurante. Ela está frustrada e cansada, ele não entende e nem aceita… Mas no decorrer da conversa deles, a gente vai notando o que causou esse desgaste entre eles.

 

Os capítulos seguem mostrando o lado torpe e cruel da sociedade, que mesmo tão tecnológica, denigre e corrompe.

 

Situações cotidianas de pessoas de diferentes classes sociais, que revelam o quanto a sociedade ainda precisa aprender e evoluir.

 

Preconceito, sexismo, fanatismo… Tanta coisa assolando um país, que nem parece tão ficcional assim, infelizmente.

 

Brasília talvez seja uma tigela cheia de escorpiões…

 

E, realmente, há limite para a estupidez humana?

 

Que livro, gente!

 

A leitura é impactante demais e nem consigo imaginar o que vem pela frente…

 

Agora me contem, vocês já leram algo do Ignácio de Loyola?

 

Gostam de audiolivros?

@fala.werneck_marcoquotes

 

Melhores Trechos

 

“A trovoada da noite tinha se afastado, mas o vento das montanhas continuava a fazer-se sentir em rajadas curtas.”

 

“É certo que todos nós mentimos, de diferentes maneiras e por diferentes razões.”

 

“Era assim que os romanos lutavam entre si, silenciosamente, sem gritos de guerra bárbaros, com o território ganho palmo a palmo.”

 

“O coração dos homens, nos momentos de crise, é como um poço fundo, obscuro como uma noite de nevoeiro.”

 

“Poucos, além de mim, sabiam do esforço que tal atitude lhe custava, ou viam as profundas sombras que lhe cobriam o rosto quando ele se retirava da vista dos seus homens.”

 

“— A coragem e a grandeza de alma só adquirem importância na adversidade, e não nos tempos prósperos — disse eu.”

 

“Como ouvi dizer por diversas vezes a meu amo, ninguém é realmente capaz de entender o que se passa durante uma batalha, a não ser aquilo que acontece à sua volta.”

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/2XLQxDZ

@fala.werneck_dooutrolado

 

Editora: Ler Editorial.

Páginas: 285.

 

Você sabe escolher?

 

Thiago Vilard criou uma história digna de roteiro de série ou novela, uma trama envolvente e surpreendente, porque ainda que alguns indícios pudessem fazer o leitor supor certas coisas, os pontos principais só são revelados no final e impressionam.

 

Acompanhando a vida de algumas pessoas, percebemos o peso das escolhas e as suas consequências.

 

Laura é uma mulher rica, que tomará um caminho sem volta. Transformando assim a vida de outras famílias também.

 

E fica a questão: será que algumas escolhas tortuosas podem ser justificadas?

 

Será que corações bons podem se corromper?

 

Qualquer um pode errar, decidir algo em uma fração de segundo e ser assombrado por isso pelo resto da vida.

 

Algumas pessoas que aparecem pelo caminho podem ser inocentes ou mais perigosas do que se poderia imaginar.

 

A narrativa acompanha anos da vida do jovem Matheus, que cresceu em um orfanato, mas sente que existem segredos ocultos importantes por trás de tudo que envolve a sua vida enquanto era um bebê.

 

Ele tenta se adaptar, lidar com a realidade diante de si e tem esperanças de descobrir a verdade um dia.

 

Em paralelo, há um personagem perigoso, terrível, cruel, um verdadeiro psicopata, que consegue praticar muitos crimes e criar planos maquiavélicos com um parceiro oculto.

 

A vida desses três está mais conectada do que poderíamos imaginar.

 

E ainda que o amor exista na vida do Matheus, ele precisará fazer escolhas fundamentais.

 

A maldade, que fica impune em certos casos, representa uma realidade cruel. No mundo em que vivemos, quantas pessoas saem incólumes e tantos outros, inocentes, são condenados injustamente?

 

No entanto, mesmo diante de tantas tragédias, existem sentimentos que conseguem ultrapassar todas as barreiras.

 

Será que existe limite para a força do amor?

 

“Do outro lado da fronteira” surpreende pelo que diferencia a história de outros romances contemporâneos que conhecemos, apresentando elementos tão assustadoramente reais e fortes.

 

E nos faz pensar: até onde uma pessoa pode ir para ajudar outra?

 

Quais são os perigos envolvendo escolhas impulsivas?

 

Afinal de contas, as pessoas conseguem compreender o que está do outro lado da fronteira?

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/2VlDFDK

@fala.werneck_confrariaprimeirasimpressoes

 

Na minha opinião, a poesia é algo tão belo porque conversa com a alma de cada um.

 

Estou gostando demais da leitura dessa antologia, pois são tantos autores com seus próprios estilos, que nos emocionam de formas diferentes.

 

Há poemas que falam de amor, de família, de sentimentos especiais que nos transformam.

 

Outros denunciam os graves problemas da nossa sociedade.

 

E também encontramos aqueles textos que nos inspiram a ir além, acreditar que podemos buscar o melhor para a nossa vida e a sociedade que queremos para o futuro.

 

O “Poema (simplicidade)” nos lembrar que:

 

“Nem todo choro é de amor,

Nem toda lágrima é triste,”

 

E assim a gente pensa no quanto as emoções são complexas e podem até nos confundir em vários momentos.

 

Viver é sentir, se envolver, aprender muito, duvidar de alguns momentos e continuar tentando.

 

Porque como falou o poema “Mulher”:

 

“Se um dia você souber

Quantas tantas você é

Só vai fazer o que quiser!”

 

A gente pode ir muito além, então por que nos limitar?

 

Quem aí gosta de ler poesia nacional também?

 

@fala.werneck_resenhaumaherdeira

 

Editora: Viseu.

Páginas: 257.

 

Você não faz ideia…

 

Famílias podem ser muito complicadas, Elizabeth sabe bem disso…

 

Seu pai, o conde Weatherford, é um homem cruel e extremamente violento.

 

Mas ainda que sofresse muito, a jovem se tornou determinada, amorosa e sonhadora; mesmo tendo que conviver com o luto pela morte da mãe quando era criança, ela cresceu com a força de vontade para construir uma vida melhor para si mesma, longe de tudo aquilo que sempre trouxe dor e sofrimento.

 

Marcus, o duque Hawthorne, também convive com o luto pela morte do irmão e da sua família formada recentemente. Ainda que triste pela fatalidade, Marcus está decidido a encontrar uma esposa e construir um bom relacionamento.

 

Os dois se conhecem em um baile, enquanto Elizabeth só pensa em fugir dessa sociedade que parece falsa e indiferente, Marcus se sente atraído pela personalidade forte dela.

 

E assim, uma amizade nasce.

 

Os dois começam a se aproximar cada vez mais e é adorável ler sobre esse amor singelo que irá surpreender os dois. Além de ser engraçado ver a Lizzie tentando afastar esse duque engajado.

 

Eles precisam enfrentar muitas situações difíceis e aprender a aceitar o tempo de cada um.

 

A jovem tem um brilho próprio, mas é muito marcada por tudo que já passou.

 

Marcus, aos poucos, vai entendendo melhor a Lizzie e percebe que faria qualquer coisa para vê-la feliz.

 

Uma prova terrível aguarda os dois, que precisam encarar verdades inconvenientes e escolher o que querem para o futuro.

 

Um romance de época encantador, que logo conquista o leitor e mostra como podemos estar equivocados nos julgamentos das palavras e ações dos outros, porque não fazemos ideia do que aquela pessoa precisou enfrentar para estar de pé hoje.

 

O amor é lindo, especial e pode nos ajudar muito a amadurecer, sentir e acalentar outros corações também.

 

Porque o amor cura e renova.

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/38j3tTT