Fala Werneck

@fala.werneck_acasaresenha

 

Editora: Coerência.

Páginas: 247.

 

A essência da vida

 

A vida pode ser bem diferente do que poderíamos prever e Caroline vai constatar isso da pior forma possível ao se decepcionar com o noivo.

 

Mas ela é uma mulher que não se deixa abater e decide mudar de cidade para recomeçar.

 

No entanto, mais uma vez, ela vê tudo mudar, porque os mistérios cercam a casa onde está morando e o seu local de trabalho parece cheio de segredos também.

 

Acompanhamos então a jornada dessa mulher para se recuperar enquanto lida com novos pacientes, que vão ensinar muito para ela. Especialmente a Helena.

 

Cada cena com a Helena, suas reflexões e grandes lições, faz o leitor desejar que essa incrível mulher seja real para poder conhecer alguma das suas obras.

 

Mas ela é apenas uma personagem ficcional muito bem construída.

 

A narrativa do autor nos envolve e ficamos torcendo para que a Caroline descubra qual é a sua conexão com o capitão e quais são os segredos que a Laura, dona do Centro Médico, esconde.

 

E então, mesmo criando várias teorias, o leitor pode perceber que nem tudo é o que parece e alguns personagens são mais complexos do que o previsto.

 

Caroline amadurece, aprende a lidar com suas inseguranças e precisa encarar algumas verdades dolorosas e escolhas difíceis, especialmente nas questões amorosas.

 

A vida pode ser interrompida de forma abrupta e alguns destinos não conseguem cumprir seu próprio tempo.

 

Mas a essência da vida é mais forte que tudo e supera todas as barreiras.

 

Por isso, quando Caroline descobre o que realmente aconteceu e quem aquelas pessoas são, caminhos se apresentam e ela precisará escolher quem deseja ser dali para a frente.

 

Uma obra cativante que fala sobre os diferentes tipos de amor, o valor das novas oportunidades, a importância do tempo e o poder inabalável do amor.

 

Um livro que vai te conquistar!

 

Compre na Amazon: https://amzn.to/3HXrRdo

 

E se você quiser conhecer mais sobre essa e as outras obras do autor, visite o site: https://www.alexbitten.com.br/

@fala.werneck_naoveraspaisnenhumresenha

 

Editora: Global.

Páginas: 424.

 

Cadê o Brasil?

 

O Brasil tem problemas. Nosso país tinha problemas há 40 anos, quando “Não verás país nenhum ” foi escrito, e continua tendo dificuldades até hoje.

 

Algumas adversidades mudaram, outras permanecem iguais mesmo depois de décadas…

 

A escrita do Loyola mais uma vez impressiona e se mostra visceral por trazer uma representação do Brasil que impacta pela sua atualidade e proximidade com o que vivemos.

 

Ainda que seja uma obra distópica, repleta de elementos que excedem a realidade, o autor cria uma narrativa que critica as principais falhas da sociedade brasileira.

 

E lendo sobre esse país que possui um deserto enorme, controla o uso de água e a obtenção de comida, um lugar que criou uma forma manipulada de introduzir elementos nos alimentos para que as pessoas não questionem, não se revoltem, sejam mais passivas e fáceis de serem conduzidas… A gente se assusta com as possibilidades.

 

Alimentos que nem mereciam essa nomenclatura por irem destruindo organismos e consumindo as pessoas de uma maneira que muitas se tornam quase irreconhecíveis de tão doentes.

 

Impossível imaginar uma realidade assim, não?

 

Mas sabemos que existem muitos meios de se controlar as pessoas e manipular as ideias e ações.

 

Além disso, ao acompanharmos Souza e a sua jornada reflexiva e assustadora, nos surpreendemos com as representações de situações que fazem referência a alguns momentos tenebrosos da humanidade, como a Segunda Guerra Mundial.

 

E o leitor sente o desespero e o desânimo diante de situações que não apresentam uma saída.

 

Pessoas são direcionadas, manipuladas e quando enxergam o que está acontecendo é tarde demais. As marquises são bizarras!

 

Uma obra que representa um alerta para a forma como agimos e deixamos a sociedade agir.

 

Porque cada um tem a sua parcela de responsabilidade e, consequentemente, de culpa.

 

Dessa forma, terminamos a leitura questionando que tipo de Brasil estamos ajudando a moldar.

 

Você já parou para pensar sobre isso?

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/31AC2W3

@fala.werneck_resenhapartidas

 

Editora: Faro Editorial.

Páginas: 254.

 

Sinta a beleza da vida

 

Anna vê o seu mundo desmoronar quando o noivo morre.

 

Mas depois de muitos meses meio anestesiada e sem saber o que fazer, uma notificação no celular a leva a tomar uma decisão impulsiva e fazer sozinha a viagem que tinha planejado com o Ben.

 

Enquanto vai seguindo a rota preparada por ele, e tenta honrar a memória do jovem através da realização do sonho que ele possuía, ela vai refletindo sobre as próprias escolhas, descobrindo belezas singulares e fazendo amizades importantes.

 

Uma história que vai te envolver completamente e despertar muitas emoções.

 

Anna pode representar o retrato de cada um de nós, que precisa encarar o inesperado, lidar com o turbilhão emocional, compreender os seus próprios limites e aprender a pedir ajuda.

 

Desapegar não quer dizer esquecer, mas entender que certas questões precisam ficar no passado.

 

Keane é outro personagem que vai conquistar o leitor, um homem que também está aprendendo com o seu passado e tentando focar em tudo de bom que pode vir pela frente.

 

Diante de traumas, pode ser muito difícil abandonar a revolta e a autopiedade, mas é extremamente necessário para que a vida mostre que existem outras formas de encarar certas limitações.

 

Duas pessoas diferentes que vão aprendendo algo a cada dia no mar.

 

Eles aprendem sobre respeito, amizade, espaço, acolhimento, sensibilidade, motivação.

 

Cada um tem o seu tempo, mas o equilíbrio vai sendo construído e é lindo de ler.

 

Uma história que vai aquecer o coração e te deixar com vontade de viajar.

 

Porque afinal de contas…

 

“[…] estou começando a entender que a tristeza e a felicidade podem ficar lado a lado dentro de um coração. E que esse coração pode continuar batendo.”

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3Fa5KyE

@fala.werneck_resenhaantes

 

Editora: Faro Editorial.

Páginas: 272.

 

Todo mundo tem uma história

 

“Antes que você saiba meu nome” é mais do que um mistério que você lê tentando descobrir quem é o assassino; é uma história para refletir sobre a maneira como as pessoas que morrem sem identificação são tratadas pela sociedade.

 

Cada pessoa possui uma história, um passado, alguém que amou e pessoas que vão sentir a falta dela.

 

Por isso, todos merecem o respeito de ter suas vidas lembradas e reconhecidas.

 

Há muitos que vivem uma jornada de erros sequenciais, outros sofrem com situações trágicas que impedem uma vida mais leve.

 

No entanto, essa visão de que pessoas não identificadas são sempre ruins ou que fizeram muitas coisas erradas é limitante e preconceituosa.

 

A história do livro nos apresenta duas mulheres que terão suas vidas ligadas: Alice foi assassinada e Ruby vai encontrar o corpo.

 

A narrativa é feita pela jovem que morreu e mostra o quanto ela sofreu e precisou lidar até conseguir fugir para Nova York.

 

E esse lugar, que parecia um sonho e a oportunidade de uma vida longe de tudo que a fez sofrer, se torna o seu túmulo.

 

Alice nos mostra como pessoas com um passado turbulento conseguem respirar e tentar mais uma vez quando encontram um ponto de equilíbrio e conforto. Um lugar e/ou alguém que acalente.

 

Só que o seu fim violento e terrível chega rápido e tudo que poderia ter sido perde o seu espaço.

 

Por outro lado, Ruby é uma mulher mais madura, que também sofre e busca em Nova York o seu recomeço.

 

A percepção da mulher também é algo realmente importante na obra. Mulheres vivem (desde que o mundo é mundo) sendo ameaçadas, restringidas e subjugadas; e a própria sociedade vai gerando uma internalização de regras e sentimentos limitantes.

 

Além de toda a crueldade que muitas sofrem fisicamente, ainda assumem psicologicamente parte da culpa e da responsabilidade pelo que sofrem.

 

E por quê?

 

Elas não merecem isso.

Ninguém merece isso.

 

Um livro para entreter e também servir como um alerta para o tanto que a sociedade precisa mudar e com urgência.

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3ENQFTm

@fala.werneck_aurora

 

Editora: Verus.
Páginas: 348.

A intensidade do amor

 

Algumas histórias românticas nos fazem sonhar, outras nos fazem chorar.

 

“A aurora de lótus” nos permite sentir tudo isso e muito mais!

 

Um livro que envolve, emociona, angustia e também nos dá esperança.

 

Esperança de que a vida pode ser melhor, as pessoas podem aprender a conviver de uma forma mais equilibrada e o amor pode realmente ser eterno. Ainda que precise de muito amadurecimento e tempo para verdadeiramente florescer como deve.

 

Zarah é uma personagem forte, intensa, pela qual torcemos muito e com quem sofremos bastante também.

 

Ela se decepciona muito na vida e demora para realmente entender os sentimentos conflitantes que possui.

 

Mas enquanto ela vai se descobrindo e percebendo que a vida pode ser mais complicada ainda do que ela poderia imaginar, sente também a força que possui e que a leva adiante para seguir lutando pelo que acha certo e justo, e pelas pessoas que ama.

 

Além de tudo isso, a história é ambientada no Egito Antigo, uma época histórica fascinante e mística.

 

Compre na Amazon: https://amzn.to/3qHibNd

@fala.werneck_resdevaneios

 

Editora: Flyve.

Páginas: 177.

 

O que é ser humano?

 

“Devaneios de uma mente perturbada” é um livro com contos críticos, reflexivos, intrigantes e alguns bem tenebrosos.

 

Ler sobre a maldade humana é algo assustador, porque lembramos quão baixo o ser humano é capaz de chegar e, ainda que a vingança possa parecer “justa”, toda essa crueldade é simplesmente terrível.

 

O autor conseguiu criar histórias que, mesmo em poucas páginas, conseguem transmitir sua mensagem de forma completa.

 

“Apocalipse” é o conto mais perturbador, uma daquelas histórias macabras que permanece na sua mente por dias e tem o potencial de embrulhar o estômago. Então, tenha cautela com ela…

 

“Solidão” e “Um pobre senhor” apresentam críticas fortes aos graves problemas da nossa sociedade, que ainda precisa avançar muito.

 

As injustiças são muitas, os direitos não são iguais como deveriam e ler sobre essa trajetória de luta e dor do Agenor para cuidar da saúde é simplesmente devastador; porque desperta sentimentos de indignação e revolta.

 

Sabemos que o pobre senhor da história é fictício, mas quantas pessoas reais vivenciam as mesmas dificuldades ou até piores?

 

A sociedade possui graves problemas e o ser humano é um dos fatores agravantes para as injustiças que são perpetuadas.

 

Quantas pessoas estão realmente lutando pelo seu lugar e também pelo dos outros?

 

Não existimos sozinhos, precisamos trabalhar juntos para nos fortalecer.

 

Por outro lado, há vários contos no livro que nos falam sobre decisões erradas e consequências trágicas; todos possuem um lado sombrio, mas é preciso escolher o que você quer deixar dominar, o que tem mais relevância, pelo que vale a pena lutar.

 

Todos possuem suas próprias limitações, mas também suas escolhas para descobrir o que cada um é e o que quer se tornar.

 

Afinal, o ser humano é um emaranhado de experiências, boas e ruins, que o distanciam ou aproximam de sua própria humanidade.

 

Você sabe quem é?

 

* Essa resenha já foi postada anteriormente, mas como o autor teve a atenção e o carinho de me enviar a edição física linda e autografada, eu precisava repostar e fazer uma foto bonita com a obra. Muito obrigada, Adam!

@fala.werneck_docenatal

 

Hoje eu trago para vocês a resenha de um conto natalino da Fernanda Terra, que a autora me enviou antecipadamente e eu adorei!

Espero que gostem e aproveitem para ler também! O lançamento será no dia 15/12.

 

A vida tem dessas coisas

 

Tempo, momento, nem sempre as coisas acontecem como a gente espera.

 

Eduardo e Mônica são duas pessoas que se apaixonaram, viveram um relacionamento intenso, mas fizeram escolhas que levaram a rumos distintos.

 

Só que um evento doloroso aconteceu e a vida mostrou que talvez seja hora de repensar alguns caminhos.

 

Muitas vezes, é preciso vivenciar oportunidades diferenciadas para entender e sentir o que realmente importa e é relevante para a sua vida.

 

A gente precisa sim arriscar e tentar para descobrir quem realmente somos e o que nos move, mas independente disso, o sentimento que temos pelas pessoas pode ser transformado também, ou não.

 

Algumas coisas permanecem e se perpetuam, indicando claramente um caminho especial.

 

Mas as escolhas são sempre delicadas, especialmente quando envolvem outras pessoas…

 

Este conto de Natal é fofo e até musical, porque faz o leitor lembrar das músicas da banda Legião Urbana.

 

Uma história de amizade, amor, esperança e companheirismo.

 

Porque a vida é repleta de escolhas boas e ruins, momentos intensos e serenos, pessoas marcantes e inesquecíveis.

 

E o Natal tem o poder de transformar tudo, não é mesmo?

@fala.werneck_resenhacaia

 

Editora: Autografia.

Páginas: 85.

 

Fracasso: você tem medo?

 

“Caia no Abismo!” é um livro que nos lembra como a vida é feita de ciclos e repleta de momentos diferenciados; afinal, todos temos altos e baixos.

 

A obra não é dividida em capítulos, mas as frases em destaque sempre nos conduzem às reflexões mais intensas.

 

Força, responsabilidade, gratidão. Você já parou para pensar sobre o real significado dessas palavras?

 

Precisamos buscar a nossa força interior para lidar com as inseguranças, as dúvidas, os imprevistos e aqueles sonhos que demoram mais do que havíamos considerado anteriormente.

 

É necessário ter responsabilidade, especialmente a emocional, porque estamos em um mundo onde as pessoas têm estado mais extremistas, agressivas e (quem diria?) até frágeis.

 

Ao não lidar com os próprios sentimentos e o turbilhão de pensamentos, as pessoas estão ficando intolerantes e acabam “esquecendo” que os outros também enfrentam situações problemáticas diariamente.

 

Gratidão, muita gente fala, mas nem sempre consegue sentir.

 

Ser grato representa também valorizar e reconhecer os esforços, a jornada, esse longo caminho até aqui…

 

A sociedade “prega” essa sede de sempre querer mais, a perpétua insatisfação. E muitos acabam se afastando dos momentos em que poderiam sentir aquela paz interior ao constatar quantas batalhas já foram vencidas e quantos resultados positivos já foram obtidos.

 

Sentir, viver, respirar. Precisamos de pausas. Todos nós.

 

E, muitas vezes, quando a gente não reconhece esse momento, as quedas acontecem.

 

Para nos lembrar que precisamos amadurecer, nos fortalecer, perceber que podemos nos enganar e fazer escolhas equivocadas.

 

O aprendizado é constante e as oportunidades são infinitas. Mas a gente deve tentar.

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3DwmIXj

@fala.werneck_ayla

 

Editora: Flyve.

Páginas: 126.

 

Rumos da Vida

 

“Ayla, a tamanduá” é o segundo conto do autor ambientado neste Brasil distópico, tão distante da nossa realidade e, ainda assim, assustadoramente próximo.

 

Ayla é uma jovem que ama os animais e faz o que pode para ajudar. Trabalha em uma ONG que resgata e cuida deles; lá ela tem amigas e também é muito próxima dos animais, especialmente de um tamanduá que se torna o seu companheiro de jornada quando algo terrível acontece e ela precisa fugir.

 

Acompanhamos então essa jovem que tenta assimilar o que aconteceu e encontrar uma forma de seguir em frente e provar que não cometeu o crime do qual está sendo acusada.

 

Por ser mulher, enfrenta outros problemas e o preconceito continua sendo uma grave questão da sociedade, além da violência que ocorre contra as mulheres.

 

Mais uma vez o autor cria cenas fortes e pesadas para nos mostrar o lado mais vil do ser humano.

 

E mesmo diante de tanta crueldade, a Ayla consegue encontrar forças e apoio para lutar pela justiça e pela verdade.

 

O poder que está nas mãos do rei que governa o Brasil começa a ser abalado.

 

Nesta narrativa conseguimos conhecer um pouco mais a resistência e algumas pessoas que lutam.

 

Porque mesmo que o discurso assustador pareça representar a mente da maior parte da população, isso é um equívoco.

 

Cada vez mais as pessoas estão percebendo o quanto esse “reino” é problemático e restritivo. E elas cansaram de sofrer caladas.

 

O próximo conto promete… Pois os indícios de que a resistência está ganhando forças é maior a cada página.

 

Outro ponto que merece ser mencionado é a amizade da Ayla com o tamanduá; mais um bichinho companheiro e com muita personalidade para criar um tom especial nessa história.

 

Uma leitura para se angustiar e também refletir sobre o que estamos fazendo para construir o futuro.

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3DNkaEe

@fala.werneck_resenhacassy

 

Editora: Flyve.

 

Você tem coragem?

 

“Cassy, o Bicha” é um conto ambientado em um Brasil distópico onde reina o preconceito, o fanatismo e a discriminação.

 

Através de uma narrativa com cenas intensas, o autor nos traz uma grande crítica social e política.

 

Pensamos sobre como seria impossível uma realidade assim, ainda que grande parte dos discursos tortuosos de alguns personagens não estejam longe da nossa vida real.

 

Infelizmente, o preconceito existe e algumas pessoas acreditam ser melhores que as outras por causa de algumas características específicas.

 

Cassy é um personagem interessante por ser alguém que sofre com esse novo mundo, mas está cansado de esconder quem verdadeiramente é e decide partir em uma jornada ousada por liberdade e justiça.

 

Pelo caminho, ele faz amizade com homens que, como ele, cansaram de se esconder e sofrer calados.

 

Além de alguns animais que se tornam companheiros de viagem também e são cativantes, como a pomba, que sempre dá um jeito de mostrar para o Cassy a sua opinião.

 

Um conto curto, que possui uma mensagem enorme.

 

Algumas cenas são chocantes e mostram a intensidade daquele lugar agressivo.

 

Mas a força do personagem principal mostra o quanto é importante cada um poder viver e ter liberdade para sentir atração por quem quiser.

 

Porque sem respeito a humanidade se rende à crueldade.

 

E que humanidade é essa?

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3Iwdqye