Fala Werneck

@fala.werneck_resenhasem

 

Editora: Bem Cultural.

Páginas: 102.

 

Conversa especial

 

Poesia é uma conversa entre duas almas sensíveis.

 

“Semáforos Poéticos” é um livro de poemas da Catarina, que ela escreveu de uma forma cotidiana com a qual todos nós conseguimos nos identificar: em um bloco de notas no celular enquanto aguardava no trânsito para os compromissos do dia a dia.

 

O trânsito pode ser enlouquecedor, especialmente em cidades grandes, mas este livro nos mostra que sempre é possível aproveitar esses momentos (mesmo os que parecem irritantes perdas de tempo), basta tentarmos.

 

Poemas que falam sobre os sentimentos, alguns rituais e que trazem muitas reflexões.

 

O que alimenta a nossa alma? São tantas as possibilidades, né? Porque cada um tem gostos, preferências, prioridades.

 

Mas sentir e conviver são comuns a todos nós.

 

Diariamente lidamos com erros e acertos, momentos bons e ruins, pessoas com as quais nos identificamos e outras que não conseguimos compreender.

 

Por isso, é preciso aprender a desapegar, deixar passar o que não compensa e lutar pelo que merece nossa atenção.

 

E a autora também nos lembra que o mais importante não é o lugar, a paisagem que nos cerca, mas o modo de olhar.

 

As palavras possuem essa beleza especial de nos permitir transmitir ideias e sentimentos com carinho, delicadeza, força, intensidade. Cada combinação gera um conjunto de emoções singulares para cada pessoa.

 

Porque o que me comove pode ser natural para você e o que lhe toca pode me atingir de outra maneira.

 

Como não amar a poesia?

 

@fala.werneck_resenhaeun

 

Editora: Autografia.

Páginas: 110.

 

Sentir ou não

 

Vivemos uma época em que as pessoas estão sobrecarregadas, distraídas, esquecidas do que mais importa na vida…

 

Livros de poesia são especiais e singulares pelo olhar que expressam.

 

Esse do Luiz fala da vida, do ser humano, das relações e dos desafios também.

 

Os filtros controlam as imagens nas redes e criam mais máscaras do que jamais vimos.

 

Assim, as pessoas não se permitem expor quem realmente são, com falhas, defeitos e muito aprendizado pela frente. Só que isso faz parte de ser humano.

 

O poema que fala sobre máscaras logo me fez lembrar dessas questões.

 

Por isso, de que vale fingir tanto assim?

 

O poema que fala sobre envelhecimento é bonito por nos lembrar que mesmo o corpo perdendo algumas coisas com o passar do tempo, a alma aprende cada vez mais e isso que a transforma e faz evoluir.

 

Porque a vida não é muito fácil, ainda que existam coisas simples que nos ajudam a ter leveza no dia a dia. Mas algumas ventanias aparecem e nos atingem com força…

 

Diante disso, precisamos nos fortalecer, acolher o aprendizado e erguer a cabeça para seguir em frente.

 

Ainda que o mundo nos faça ficar ocupados e preocupados, podemos encontrar pausas, acalentos e desafios que nos inspiram.

 

“Eu nunca passei por essa rua” é um livro que nos faz refletir, encarar os defeitos da humanidade e lembrar que podemos fazer a nossa parte e tentar.

 

Enquanto há tempo, enquanto a vida nos alimenta, podemos acreditar e encarar os desafios.

 

Enxergar o que está ao nosso redor e descobrir o que essa percepção pode nos acrescentar.

 

Você conhece o autor?

 

Qual foi o último livro de poesia que leu?

 

@fala.werneck_procurase

 

Editora: Ler Editorial.

Páginas: 497.

 

Divirta-se!

 

A escrita da autora é ótima e este é mais um livro que diverte e nos conquista pela narrativa e pelos personagens.

 

Bruna é muito engraçada, um pouco distraída e logo nos cativa!

 

Acompanhamos a jornada dessa jovem que está indo para outro país trabalhar como babá e torcemos para que ela consiga se adaptar, manter o empego e também viver um grande amor.

 

Sophia é uma criança com a capacidade de enlouquecer os adultos com as suas peripécias, mas também é uma menina adorável, que demonstra afeto de uma forma genuína e não tem medo de falar o que pensa.

 

A criança vai superando o trauma pela perda da mãe com a babá e a Bruna vai amadurecendo muito e realmente aprendendo a amar essa menina tão necessitada de carinho.

 

A leitura nos distrai, diverte e emociona.

 

Mais um livro da autora que indico para todos que buscam um bom romance contemporâneo.

 

@fala.werneck_resenhaalerta

 

Editora: Faro Editorial.

Páginas: 251.

 

Família é tudo

 

“Alerta de Tempestade” é a continuação do livro “Pistas Submersas”.

 

A narrativa é envolvente desde as primeiras páginas e nos deixa curiosos sobre o que pode ter acontecido com o professor universitário aposentado que morreu.

 

Acompanhamos a detetive Karen buscando respostas, revendo familiares dos quais estava afastada e descobrindo que sua família pode estar mais envolvida na situação do que ela gostaria.

 

Além disso, conseguimos perceber que a detetive está aprendendo a conviver melhor com o seu passado doloroso e com as pessoas que são importantes para ela.

 

Os indícios indicam que o culpado teve motivações familiares para agir e, quando o segundo assassinato acontece, a corrida contra o tempo se torna mais eletrizante e o perigo se escancara diante da pessoa que descobre o que realmente aconteceu e fica cara a cara com um psicopata assustador.

 

Karen trabalha enquanto ainda está se recuperando do caso anterior, lida com a família e tenta ajudar uma amiga que está passando por um momento muito difícil.

 

E aquele favor que é pedido em um dos últimos capítulos tem um doce sabor de vitória e um pouco de justiça…

 

Um thriller investigativo que fala de confiança, família, orgulho e do que as pessoas são capazes para alcançar o que querem.

 

@fala.werneck_aassistenteresenha

 

Edição Independente.

Páginas: 267.

 

Lindas mudanças

 

Na história iremos conhecer dois personagens muito diferentes em alguns aspectos e idênticos em outros.

 

Alex é um homem que divide o seu tempo entre o trabalho e a vida pessoal de forma satisfatória, conseguindo equilibrar as suas atividades como CEO da empresa fundada pelo seu tio e curtindo a rede de boates para mulheres que fundou com um amigo da faculdade.

 

Sophie está buscando uma boa oportunidade para a carreira na área de Administração e está desiludida depois de uma grande decepção com o ex-namorado.

 

Ambos possuem amizades fortes, bonitas e de longa data: Alex tem o Zion, que é seu amigo desde a época da faculdade; e Sophie tem a Katie, que a acompanha em várias loucuras desde a época da escola.

 

Sophie e Alex se conhecem de uma maneira diferenciada (e ousada) e, graças a uma prima dela, eles se reencontram no ambiente corporativo.

 

E essa interação diária no trabalho fará com que eles precisem lidar e tentar entender o que estão sentindo.

 

Uma história com aqueles clichês que a gente adora.

 

E que nos faz torcer pela Sophie, para que ela continue sendo essa jovem determinada e encontre finalmente um grande amor.

 

(Vale lembrar que é um romance com cenas muito descritivas.)

 

Mesmo sendo o segundo livro de uma duologia, pode ser lido de forma independente.

 

Você gosta de romances assim?

 

@fala.werneck_prazerconfusao

 

Editora: Flyve.

Páginas: 90.

 

Múltipla

 

A escrita da Carolina é leve e expressa a naturalidade da vida cotidiana de uma forma muito bonita.

 

Os seus poemas com referências criam no leitor aquele sentimento de acolhimento e conexão.

 

É tão bom quando encontramos alguém com os mesmos gostos! A conversa flui.

 

E a leitura do livro “Prazer, Confusão” é exatamente assim: uma conversa boa; na qual lembramos de algumas fases da vida, os desencontros, os sentimentos conflituosos, a intensidade dos momentos.

 

Viver é sentir, e quem é poeta sente até demais.

 

Por isso a poesia é linda! Ela transmite em palavras um mundo que existe dentro da gente.

 

Um mundo confuso, sim, porque ninguém é constante e permanece igual todos os dias.

 

Mas um mundo tão incrivelmente colorido, que vale toda a confusão de alguns momentos.

 

Como já disse a irmã da autora no Prefácio: “Reparem a bagunça.”; e está tudo bem, porque todos nós temos um pouco dela dentro de cada um.

 

Você costuma ler poesia?

@fala.werneck_resenhasegredos

 

Editora: Faro Editorial.

Páginas: 302.

 

Todo mundo tem segredos

 

A vida sempre apresenta desafios e, pelo caminho, podem surgir problemas terríveis, com o potencial de destruir a vida de muitas pessoas.

 

Quem nunca fez escolhas erradas?

 

Quem nunca confiou em alguém que não devia?

 

Mas a vítima não pode ser culpada pelo crime, a culpa, a responsabilidade, a crueldade é de quem cometeu.

 

Histórias que apresentam situações de agressão grave assim são leituras pesadas, que levam o leitor a refletir sobre as mudanças bruscas e tenebrosas na vida de quem sofre.

 

Algumas pessoas conseguem continuar e aprender a seguir vivendo, outras não.

 

E também há as famílias, tantas pessoas sofrem juntas e buscam aceitar o que ocorreu e tentar ajudar para de alguma forma amenizar a sensação de estar de mãos atadas diante da barbárie humana.

 

Nick é a vítima do crime, Tony é o irmão mais velho. E a relação que eles têm é forte demais, acolhedora, pela diferença de idade e a questão envolvendo os pais, Tony é em essência um pai para o Nick.

 

Um pai que se vê completamente devastado pelo que aconteceu e que se sente capaz de qualquer coisa para proteger a vida de uma das pessoas que ele mais ama.

 

O livro vai alternando os pontos de vista e também apresenta capítulos no futuro, o que intriga ainda mais sobre o que poderia ter acontecido.

 

E quando a gente pensa que enfim descobriu o que aconteceu, outras questões vão surgindo e mais segredos também.

 

Todos guardam algo, escondem coisas, e algumas dessas revelações são mais bombásticas ainda.

 

Uma leitura carregada de drama, que começa muito dolorosa e assustadora; mas depois entra num ritmo alucinante, que faz o leitor devorar as páginas para descobrir o que aconteceu e se a justiça foi feita ou não.

 

No fim, cada um precisa arcar com as consequências de seus atos e escolhas.

 

E o leitor termina chocado! 😉

@fala.werneck_resenhacorina

 

Edição Independente.

Páginas: 220.

 

O aprendizado com a dor

 

“Corina” é uma história feita para nos envolver com seus navios, romances, batalhas e muito amor.

 

Corina é uma jovem forte, que precisou aprender e amadurecer rápido com as tragédias que vivenciou.

 

Perdeu a família em um naufrágio e passou a viver com o tio e a família dele, até o momento em que foram atacados e seu mundo pareceu desmoronar mais uma vez.

 

E agora ela precisa enfrentar uma batalha para salvar seus primos.

 

Só que desta vez não estará sozinha, Arthur irá acompanhá-la e juntos eles vão encarar muitos problemas, sofrer, lidar com as diferenças e viver muitos momentos angustiantes e outros gratificantes.

 

A jovem irá perceber que sua força pessoal impressionante não anula a dor que existe dentro dela, mas aos poucos ela vai tentando aceitar e compreender que o passado não deve determinar o seu futuro.

 

E assim ela segue acreditando em um futuro melhor, tentando encontrar um lar que aconchegue o seu coração ferido.

 

A jornada deles é longa, mas a determinação não os abandona.

 

Eles fazem amigos, entendem a importância de acalmar a mente para também fortalecer o corpo e encontram muitas coisas lindas.

 

O amor é uma presença acalentadora na vida de alguns personagens que, dessa forma, inspiram seus filhos a buscar algo único assim também.

 

É uma história de determinação, companheirismo e amor… Amor em suas diferentes formas.

 

E que fará o leitor suspirar, torcer e terminar a leitura curioso com o que vem pela frente na continuação desse livro.

 

Porque algumas intrigas parecem estar apenas começando!

@fala.werneck_resenhanolugar

 

Editora: Faro Editorial.

Páginas: 255.

 

Nova York solitária

 

A solidão é algo que todos nós vivenciamos (em poucos momentos, ou em vários).

 

Shay é a personagem principal deste thriller que discute bem a questão da solidão e da construção de vínculos de amizade.

 

Ela é uma mulher que ainda não está estabelecida profissionalmente, não tem um relacionamento amoroso, tem uma relação distante com a mãe e, consequentemente, é muito solitária. Mesmo vivendo em uma cidade tão cheia de pessoas diferentes.

 

Shay começa a refletir sobre a sua solidão depois que presencia uma mulher (Amanda) tirando a própria vida na estação de metrô, e conforme vai pesquisando e descobrindo mais coisas sobre a Amanda, ela nota o quanto são parecidas e fica intrigada com o que motivou essa mulher a fazer uma escolha violenta assim.

 

Só que a situação vai se tornando mais intrigante e misteriosa quando Shay se aproxima das amigas de Amanda: Cassandra e Jane.

 

Essas irmãs são influentes, elegantes e absurdamente manipuladoras.

 

E o leitor fica querendo descobrir o que realmente está acontecendo e como elas acabaram colocando a Amanda em um beco sem saída.

 

Se você costuma ler muitos thrillers, pode começar a criar teorias logo nos primeiros capítulos, algumas vão ganhando forma no decorrer da leitura e parece que você já desvendou o que estava acontecendo.

 

Mas então, revelações imprevisíveis acontecem, mostrando um lado surpreendente e chocante.

 

Uma leitura intensa e impactante, que te faz suspeitar de todos e querer descobrir se alguém pode ser considerado inocente nessa história toda.

 

A escrita das autoras está incrível e você não vai conseguir largar esse livro, que mostra como a solidão pode te tornar suscetível e o quanto as pessoas são carentes de afeto e ansiosas por estar vivendo momentos com aquelas acolhedoras e admiráveis.

 

“No lugar errado, na hora errada” vai falar de coincidências, limites e escolhas.

 

Você sabe identificar até onde pode ir sem se tornar o que condena?

 

@fala.werneck_resenhaaindaexiste

 

Edição Independente.

Páginas: 48.

 

A essência do amor

 

O conto é ambientado em uma das épocas mais românticas do ano. No entanto, sabemos que nem todos vivem encantados com o Dia dos Namorados.

 

Bianca é uma jovem que está solteira, gostaria de ter uma boa companhia; e está aprendendo que o tempo nem sempre flui da maneira que queremos, mas nos permite muitas experiências construtivas.

 

Ela trabalha em uma livraria, sonha em ser uma grande autora, e nós torcemos para que ela consiga enquanto acompanhamos essa jornada de autodescoberta e dedicação.

 

Uma leitura romântica e também reflexiva, porque Bianca nos lembra da importância de acreditarmos nos nossos sonhos, lutarmos por eles e também cultivarmos o afeto e o amor.

 

Porque as pessoas podem nos surpreender muito, se nos permitirmos ouvir, conhecer e encantar.

 

O amor ainda existe e ele pode ser forte, intenso, fascinante e real.

 

E a sua essência precisa brotar no interior de cada um de nós.

 

Você acredita no amor?