Fala Werneck

@fala.werneck_quotesacima

 

Melhores Trechos

 

“Por que a vida não podia ser simples? Por que ela impunha tantos desafios? Por que nos obrigava a escolher entre destino tão conflituosos?”

 

“— Sinto muito pela bagunça que causei na sua vida; mas agora temos que ficar juntos, pelo menos até tudo isso passar.”

 

“Por um momento eu resolvi deixar de lado aquela queda de braços entre nós e passar um pouco de carinho pra ele.”

 

“— Todos nós temos sempre algo a pagar e a pena muitas vezes é imposta por nós mesmos.”

 

“Independente de como as coisas se apresentam, há sempre um caminho que não podemos deixar de trilhar: o da esperança e da superação e a certeza de que nenhum de nós está acima do bem e do mal.”

 

@fala.werneck_naestrada

 

Foi a primeira (e única até o momento) caixinha da Intrínsecos que eu comprei. E achei a edição muito linda! Além do livro extra que veio, “Arte Importa” do Neil Gaiman. (Fiz um post com alguns trechos dele.)

 

Eu sempre fico apaixonada pelos livros dessa autora, porque a escrita dela é envolvente e os romances são repletos de reflexões.

 

E não seria diferente com o “Na estrada com o ex”…

 

A vida é feita de recomeços.

 

A gente precisa aprender a seguir, superar, perdoar e pedir perdão também.

 

O livro é mais um romance da autora que nos mostra a importância da empatia, da superação e de compreender que na vida a gente passa por muitos ciclos e a maturidade influencia a forma como lidamos com essas diferentes fases.

 

Uma obra para se apaixonar e pensar sobre as relações humanas também.

 

Você conhece a autora? Já leu algo dela?

@fala.werneck_resenhasalto

 

Editora: Essência Literária.

Páginas: 129.

 

Julgar é fácil, né?

 

“Salto quinze e minissaia” é um livro que você vai ler rápido por causa da curiosidade para descobrir como tudo terminará. Mas é uma obra sobre a qual você fica pensando por bastante tempo.

 

A autora criou uma personagem principal que fará o leitor encarar seus próprios preconceitos, julgamentos e também mostrará que ninguém pode ter certeza de como agiria em uma situação assim. A menos que estivesse na mesma posição para então descobrir.

 

Luana é uma jovem que mora com a mãe e a irmã; e quase não tem contato com o pai.

 

No entanto, uma tragédia acontece e ela e a irmã passam a viver com o pai. Um homem com problemas graves e que não dá a menor assistência para elas.

 

E então, uma nova tragédia acontece e Luana, que se sente sem saída, toma a única decisão que enxerga possível diante de tudo que está acontecendo.

 

A história segue e a gente fica querendo descobrir como ela irá equilibrar a vida na faculdade com a rotina noturna.

 

O preconceito que envolve o trabalho aparece de forma clara e é evidente não só nos outros, mas na própria jovem.

 

Diante da situação geral, a gente teme o quanto da essência dela está sendo afetada por tudo isso.

 

No entanto, não pense que é tudo sofrimento, os momentos dela com a irmã são fofos e a amizade com a Bárbara é um exemplo de força, afeto e respeito.

 

Uma ótima leitura para ser feita em conjunto, porque serão muitos debates e pontos de vista na conversa.

 

Agora me conte, você gosta de livros assim?

 

Costuma julgar a atitude dos personagens?

 

@fala.werneck_amortedesaraiquotes

 

Melhores Trechos

 

“Acho que, no geral, todos achamos ridícula a idiotice dos outros, até que nós mesmos somos forçados a viver experiências traumáticas.”

 

“Fecho os olhos e deixo a música correr pelo meu corpo; calafrios se espalham pela pele como ondulações suaves na superfície da água.”

 

“A música me assombra, cada segundo melancólico dela, tanto que meus olhos fechados se enchem de lágrimas, mas só meu coração consegue derramá-las.”

 

“Não sou sua alma gêmea que jamais deixará que nada de ruim lhe aconteça. Sempre confie em seus instintos primeiro e em mim, se decidir confiar, por último.”

 

“— Você me fez sentir emoções de verdade. Você me destravou.”

 

 

@fala.werneck_resenhaimperfeitos

 

Editora: Faro Editorial.

Páginas: 252.

 

A vida pode ser leve

 

Um lugar paradisíaco, uma viagem inesquecível e duas pessoas que não se suportam. O que poderia dar errado, não é mesmo?

 

Olive e Ethan não conseguem ter uma conversa sem trocar farpas, então, como será a viagem que farão juntos para um lugar incrível, já que foram os únicos que não tiveram intoxicação alimentar no casamento dos respectivos irmãos?

 

Ami é a irmã gêmea de Olive e fissurada por sorteios. Além de ser muito sortuda e ganhar vários.

 

Olive é a irmã que sofre com as furadas e situações embaraçosas.

 

Mas, no decorrer do livro, a gente vai percebendo que ela é na verdade muito realista e até um pouco cínica em relação às pessoas, o que não é de todo ruim… Porque isso vai ajudá-la em algumas situações.

 

O Ethan é um cara centrado, tranquilo, que se diverte fazendo a Olive reagir e ser até atrevida com as palavras.

 

Na viagem, eles vão perceber que possuem coisas em comum e que podem aprender muito com a sinceridade, o diálogo e a transparência.

 

Uma leitura fofa, muito divertida e romântica.

 

E que nos lembra da relevância da conversa, de simplesmente perguntar, questionar quando algo ficou mal explicado…

 

Quantas vezes nós nos retraímos ao ouvir algo que não gostamos ou não concordamos? Sendo que nem sempre a pessoa quis dizer aquilo (ou daquela forma).

 

A maneira como falamos faz toda a diferença e tentar dialogar nos ajuda a viver melhor e ter uma convivência mais serena com as pessoas.

 

Além de mostrar como o convívio pode ser transformado, a obra expressa a importância de tentar aproveitar da melhor forma possível os lugares e as companhias. Mesmo que nem tudo esteja “perfeito”.

 

A vida pode ser leve.

 

Depende da forma como encaramos as coisas e tentamos lidar com elas.

 

Sentir e aproveitar são as melhores maneiras de criar momentos inesquecíveis.

 

Amor, paixão, respeito, diálogo, amizade e diversão. Tudo isso você encontra em “Imperfeitos”.

@fala.werneck_tbrdejunho

 

A TBR de junho está escolhida e com livros que quero ler há alguns meses…

Vamos para as sinopses?

 

Prímulas em meio à guerra

“Durante muitos anos, a Literatura universal foi marcada por mulheres frágeis, vistas como puras e ingênuas. Em ‘Prímulas em meio à guerra’, de Laura Assis, é evidente a desconstrução desse perfil idealizado da figura feminina. Através dos dilemas sentimentais de Lauren, é possível perceber a força de uma mulher que, embora muito jovem, se mostra madura o suficiente para lutar pelos seus objetivos, pela chance de amar verdadeiramente, pelos seus amigos e, sobretudo, pela sua felicidade. Acompanhe esta saga incrível, repleta de romance e história, e descubra que, em tempos de guerra, toda partida pode ser um recomeço.” Ana Carolina Morgado

 

Alma em Pedaços – Adam Mattos

Será que o ser humano nasce mau, ou se torna com o decorrer do tempo?

Partindo dessa premissa o livro traz uma série de poesias que mostram o que o ser humano tem de pior em todas as suas vertentes. Desde assassinos impiedosos a pobres pessoas atormentadas que não desejam mais viver.

Assombroso e sensível, vamos mergulhar na mais profunda escuridão da alma.

Quem vem comigo?

 

Um país no horizonte de Cecília

“O papel do repórter não é dar solução às coisas.

É contar o que viu. Chegou aqui, parou.

Os outros que tirem conclusões.”

Assim, de maneira despretensiosa, Cecília Meireles encerra um dos textos que integram o presente livro, o qual reúne pela primeira vez nove ensaios-reportagem por ela concebidos para a revista O Observador Econômico e Financeiro, periódico fundado em 1936 e dedicado a abrigar em suas páginas pesquisas quantitativas, estudos e reflexões focadas em aspectos socioeconômicos, sobretudo do Brasil.

Não há risco em afirmar que os artigos que Cecília concebeu para essa publicação descortinam uma faceta de sua produção escrita que ombreia com sua magnífica obra poética. A leitura deles nos permite acompanhar a escritora muito à vontade no ofício de repórter, fazendo entrevistas, coletando informações, estabelecendo nexos entre elas e tecendo análises criteriosas e sensíveis sobre os assuntos em tela, guiada por sua obstinada busca por captar os dilemas humanos.

O total domínio da capacidade de expor os vários lados de uma mesma questão e a sagacidade demonstrada na articulação de diagnósticos indiciam que a repórter acabaria suplantando simples procedimento de contar o que via. No entanto, no que se refere a este ponto, deixamos ao leitor deste volume a privilegiada oportunidade de tirar suas conclusões.

 

Agora me conte, você já escolheu as suas leituras de junho?

@fala.werneck_imperfeitos

 

Quando comecei a falar sobre iniciar esta leitura, todo mundo que já conhecia me disse que eu iria gostar demais e me divertir muito com esses personagens.

 

Vocês estavam certos! Hehe.

 

Logo no segundo capítulo eu estava rindo com a conversa da Olive com o Ethan.

 

Olive tem uma irmã gêmea, Ami, que está se casando. Só que o evento toma um rumo inesperado quando quase todos os convidados e os noivos sofrem com uma intoxicação alimentar terrível!

 

Os únicos que se salvam desse problema são Olive (que tem alergia a frutos do mar) e Ethan (porque não gosta de bufês).

 

Então, Ami convence a irmã a ir para a lua de mel, que não tem como ser remarcada, e o acompanhante será o Ethan.

 

Eles fazem uma viagem tensa de avião e tentam fingir no hotel que são um casal.

 

Só que na primeira vez que a Olive decide ir para o spa, ela acaba encontrando o novo chefe. E a mentira segue… Depois ela precisa convencer o Ethan a fingirem durante o jantar.

 

Mas ela começa a notar o quanto ele é atraente e percebe que ele repara detalhes nela que nem poderia imaginar.

 

O comentário dele sobre a camiseta que ela vestia em um dia que se encontraram é tão fofo! E a piada com física na estampa da roupa me fez lembrar da série “The Big Bang Theory”.

 

Quando eles pensam que não precisam mais agir com aparente intimidade, a ex dele aparece e eles continuam com a história inventada.

 

Quero só ver até onde isso vai e quando a situação passará de fingida para real.

 

Estou no capítulo sete e já indicando a leitura para todo mundo!

 

Agora quero aproveitar e pedir para vocês a indicação de livros românticos e engraçados.

 

Quais os melhores que você já leu?

@fala.werneck_transformeresenha

 

Acredite

 

Todo mundo precisa encarar desafios e enfrentar dificuldades.

 

A autora irá falar em 11 capítulos sobre como podemos aprender a nos conhecer melhor e buscar maneiras mais equilibradas e eficientes de viver a vida que verdadeiramente queremos.

 

Há pontos essenciais que precisamos conhecer e respeitar. Só assim conseguiremos ter paz interior para viver bem.

 

A gratidão é importante para valorizarmos o que já conquistamos, as coisas simples da vida, as pessoas que amamos e nos acompanham nessa jornada.

 

Além disso, a gratidão ajuda a nos fortalecer para encarar o que vem pela frente.

 

E a gente sabe que consegue.

 

Os sonhos podem demorar para se realizar (e também precisar de algumas adaptações), mas se a gente lutar, um novo caminho será traçado.

 

Alguns acreditam na lei da atração, outros não. Mas a gente percebe, em várias situações da vida, a força do pensamento.

 

E esses pensamentos podem fortalecer ou enfraquecer alguém.

 

Por isso, os hábitos possuem grande relevância.

 

Quem aí já concluiu que alguns hábitos precisam ser eliminados e outros trabalhados? (Já fez a sua lista?)

 

Disciplina, algo fundamental e difícil também.

 

Porque os problemas surgem, nos sobrecarregam… Mas a disciplina e a perseverança precisam superar isso.

 

Não se trata de cobranças exageradas ou metas absurdas. E sim força para continuar depois de um dia doloroso. Fé de que algo melhor vem pela frente.

 

Maturidade para aceitar que certas coisas demoram. No entanto, elas podem se tornar reais.

 

Cada um de nós possui um potencial enorme, e é preciso despertar essa vontade e descobrir até onde pode e quer chegar.

 

Resistência, persistência, amor são forças que nos fazem avançar. Energias que nos movem e expandem a nossa capacidade.

 

Se você pode tentar mais, buscar mais, por que se limitar?

 

O mundo é enorme e pode nos mostrar tanto!

 

Você se respeita e tenta descobrir o que busca nele?

 

Você acredita em milagres?

 

Eles podem estar mais perto do que você imagina…

@fala.werneck_leiturasfevmar

 

Os primeiros meses do ano foram meio confusos, mas finalmente trago hj a lista dos livros que li em fevereiro e março.

 

Grandes leituras, românticas, importantes, edições lindas e muito especiais.

 

  • Transforme sua vida e inspire pessoas – Jô Zanardini

 

  • Calígula – Allan Massie

 

  • Um novo capítulo para o amor – Jenny Colgan

 

  • Aconteceu no carnaval – Janaina Rico

 

  • Arte Importa – Neil Gaiman

 

  • Na estrada com o ex – Beth O’Leary

 

Agora me conte, vc já leu algum desses livros?

@fala.werneck_primanonim

 

Recebi da Editora Alarde os primeiros capítulos do livro para vir contar a vocês um pouco sobre esta história investigativa.

 

Começamos acompanhando uma série de assassinatos terríveis em várias cidades no decorrer de anos, que deixam a população do Sul e do Centro-Oeste do país apavorada.

 

O serial killer é muito cuidadoso, inteligente e não deixa rastros. Apenas “assina” cada um dos crimes com uma pequena tábua que deixa, onde está escrita a palavra “Anônimo”.

 

Os anos passam, esses casos são arquivados porque a polícia não identifica o culpado. Mas no Rio, mais de uma década depois do início dos crimes, eles parecem finalmente encontrar esse homem, que se joga de um penhasco na frente dos policiais.

 

Problema resolvido?

 

Talvez não… Porque em uma pequena cidade no Sul, um pastor desonesto é assassinado de forma assustadora e a tábua assinada mais uma vez aparece.

 

Será que é um imitador?

 

Ou talvez no Rio os policiais tenham identificado a pessoa errada, ainda que ela estivesse de alguma forma envolvida com tudo isso…

 

Desta vez, há uma coisa diferente: a arma do crime foi deixada para trás.

 

E eu quero saber o que acontecerá depois nessa história! Rs.

 

Tenho minhas teorias e, sendo um imitador ou não, duvido que deixaria por “distração” o martelo para trás assim…

 

Será que os policiais vão encontrar alguma digital?

 

E, se encontrarem, será da pessoa certa?

 

Enquanto conversava com o pastor, o assassino demonstrava saber que o homem era corrupto e estava enganando o povo da cidade.

 

Seria então algum morador indignado com essas injustiças?

 

Histórias assim nos fazem imaginar várias possibilidades e tentar identificar as pistas também.

 

Quero só ver o que vem pela frente e quem é esse Anônimo.