Fala Werneck

@fala.werneck_umalady

 

Gosto muito de romances de época e este, criado pela autora Nathalie, nos apresenta uma personagem principal forte, que enfrenta muitas dificuldades na vida com a mãe, porque elas precisam trabalhar muito.

 

E quando a mãe adoece, a jovem precisa considerar possibilidades e propostas que nunca imaginaria.

 

Caroline é determinada, irá fazer o que puder para cuidar da mãe e, em meio a esta nova jornada, ela conhece pessoas que marcam a sua vida e mexem com suas emoções.

 

Na história iremos conhecer também o Albert, um duque que assumiu o título quando o irmão morreu e ainda está tentando lidar com os desafios de ser responsável por tantas pessoas que vivem nas terras da família.

 

O caminho deles se encontra, mas as coisas ficam confusas e tudo parece desmoronar.

 

A gente segue a leitura torcendo pelo amor e esperando descobrir o que virá pela frente e se eles vão em algum ponto conseguir se entender e superar as diferenças.

 

Uma leitura que flui e nos envolve pelo romance e pela mudança de vida da lady.

 

Você gosta de romances de época?

 

Qual foi o último que leu?

@fala.werneck_meucontoquotes

 

Melhores Trechos

 

“Às vezes a melhor conversa é com nós mesmos.”

 

“Eu não queria que aquele momento acabasse. Na verdade, se fosse possível, eu teria congelado o tempo.”

 

“O amor que é companheiro, amigo, ouvinte, amante… o amor que nos faz ter esperança em um amanhã melhor, mesmo nos dias mais sombrios.”

 

 

@fala.werneck_asomaquotes

 

Melhores Trechos

 

“E então, nesse caminho de volta, descobrimos que somos a soma de tudo o que amamos, experimentamos, choramos, nos despedimos e reencontramos.”

 

“Nós temos pressa, mas é preciso aprender que a memória obedece ao próprio compasso e traz de volta o que realmente importou, eternizando momentos.”

 

“Existem momentos em que é difícil reconhecermos nosso lugar. Parece que a vida dá e tira, coloca e pede de volta, estende a mão e puxa o tapete, mas, com paciência, o tempo dirá.”

 

“‘Lar’ pode ser alguém — e geralmente é.”

 

“No fundo, queremos apenas nos sentir seguros. Simplesmente em casa…”

 

“Então, Laura, o que eu quero dizer é que a vida não é uma jornada que começa agora e termina lá na frente. Ao contrário, vai começando, finalizando, recomeçando, terminando… inúmeras vezes, mais do que ousamos suportar.”

 

“Não era assim tão perfeito ou bonito, mas é assim que gosto de lembrar…”

 

“Assim você irá perceber o tempo. Ele nos engole sem pedir licença, e estabelecer nossas prioridades se torna fundamental para aquilo que hoje chamamos de ‘Qualidade de Vida’.”

 

“Na vida saímos esfolados vezes demais, mas o saldo é sempre positivo. Só tenha paciência de esperar, pois mesmo sendo difícil, há beleza.”

 

“Nessa vida, nós nos blindamos de diversas maneiras, mas aprender a afrouxar as defesas também nos torna pessoas mais leves e felizes.”

 

“Cada um tem uma história, e ainda que muitos capítulos estejam entrelaçados de forma definitiva, cada pessoa carrega em si não somente aquilo que sai dos olhos ou da boca, mas muitas outras coisas que jamais conseguiremos supor por completo.”

 

“Assuma sua vida do jeitinho que ela é, sem tirar nem pôr; e nunca se envergonhe daquilo que lhe aconteceu. Essa é sua história, e negá-la só fará com que se sinta mais presa, mais encarcerada, mais infeliz.”

 

“Aceite e toque seu barco sem perder a fé, entendendo que todo mundo tem sua própria bagagem também, algumas mais leves, com rodinhas ultradeslizantes; outras pesadas, com a alça desabando…”

 

“Porém, haverá um momento — quando você menos esperar — que já não estará tão pesado assim. Nem difícil. Estará apenas mais adaptado ao seu corpo, ao seu tamanho, às suas forças… a você.”

 

“Vivemos esperando por dias melhores e esquecemos de admirar nossas conquistas diárias, aquilo que é possível — ‘só isso’.”

 

“Pausas são necessárias, e uma hora você irá perceber que foi importante ter o freio de mão puxado, a rota desviada, a tecelagem desorganizada.”

 

“Percebemos, enfim, que o triunfo da vida está no amor; nem sempre claro, nem sempre explícito, mas, ainda assim, real.”

 

“Viver é aprender a conviver com as mudanças que ocorrem com o nosso consentimento ou não, e nos abalam por momentos estreitos ou demorados demais.”

 

“Carregamos bem e mal, mel e fel, lobo e cordeiro. Somos bombeiros e incendiários — muitas vezes causando incêndios dentro de nós mesmos.”

 

“Somos movidos pelo que a música — ou as artes, um bom livro, um bom filme — desperta em nós. Pela emoção que ainda é possível sentir diante daquilo que nos comove, ou cala sem explicações.”

 

“Somos coautores da vida que nos pertence, com todas as boas e más notícias.”

 

“De vez em quando um ‘deixa pra lá’ faz milagres e nos liberta a prosseguir tentando um arranjo novo, nem sempre perfeito, mas invariavelmente possível.”

 

“Temos que reconhecer nossos limites, aquilo que não nos cai bem, o que não é do nosso feitio. Por que essa pretensão de querer dar conta de tudo?”

 

“Somos os únicos responsáveis pelas vidas que vivemos e pelas que deixamos passar.”

 

“Amadurecemos quando entendemos que a vida é um conjunto de bem e mal, certo e errado, belo e feio, alegrias e tristezas, e passamos a conviver com os dois lados, sem negociar uma escolha definitiva.”

 

“Amadurecemos quando deixamos de ser tão exigentes, quando nos permitimos transgredir e ser menos certinhos, quando finalmente aprendemos a dizer ‘não’ e fo#*-se!!!”

 

“Amadurece quem percebe que o sofrimento faz parte do caminho, e que ele é bem-vindo também quando nos ensina o sentido da paciência e da aceitação diante das demoras e dos reveses da vida.”

 

“Todo mundo tem feridas, todo mundo leva tombos, cada um sabe o que traz na bagagem.”

 

“E, de repente, num dia qualquer, acordamos e percebemos que já podemos lidar com aquilo que julgávamos maior que nós mesmos. Não foram os abismos que diminuíram, mas nós que crescemos.”

 

“A vida começa quando você se cuida.”

 

“Existimos no amor que damos, na saudade que deixamos, na falta que fazemos, nos sonhos que povoamos, no desejo que despertamos, na raiva que provocamos, na preocupação que causamos, no mistério que não revelamos, na alegria que irradiamos.”

 

 

@fala.werneck_resenhaacima

 

Editora: Flyve.

Páginas: 328.

 

As pessoas surpreendem

 

“Acima do bem e do mal” é um romance, inspirado em uma série turca, que já conquista o leitor nos primeiros capítulos.

 

Na história iremos acompanhar a delegada Alina em sua constante queda de braço com o mafioso Leonardo.

 

Eles estão em lados distintos da lei, mas após uma tentativa dela de prendê-lo, tudo muda. O chefe da máfia turca quer acabar com a vida dela agora e o Leonardo faz uma proposta louca (que parece a única solução no momento).

 

Começamos assim a perceber o envolvimento cada vez maior entre eles; e como aos poucos ela vai desconstruindo a imagem que tinha dele. Além de constatar que o homem é muito mais do que ela poderia imaginar e tem preocupações e responsabilidades que a Alina vai começar a entender muito bem.

 

O perigo vai aumentando e a história vai evoluindo de uma maneira que nos envolve em certas partes e angustia em outras. (E a gente fica querendo saber se os maiores problemas acontecerão enquanto eles estiverem no Brasil ou na Turquia.)

 

A obra fala muito de amor, de família, responsabilidades e nos desafia a pensar sobre o quanto estaríamos dispostos a arriscar para proteger quem amamos.

 

Também é interessante analisar a variedade de personagens masculinos e as suas distintas personalidades.

 

Leonardo, Lucas, Rafael, Hilal e Zeki.

 

Leonardo e Rafael são os que conquistam o coração do leitor logo nos primeiros capítulos.

 

Lucas é “um pouco” controverso.

 

Hilal se torna mais odiável e assustador à medida que descobrimos tudo que ele é capaz de fazer.

 

E o Zeki… Esse causa sentimentos distintos (raiva, pena…).

 

Já as mulheres são intensas, fortes, que vão descobrindo um pouco mais sobre si mesmas a cada situação que vivem. (Mas, claro, tem uma que não entra nesse “grupo” e nela a gente gostaria de dar uma sacudida.)

 

Alina é poderosa e a Sulamita está só começando a descobrir quem verdadeiramente é.

 

Uma história que te faz querer procurar a série e ver se é boa assim também.

 

Você conhece as séries turcas?

 

Gosta de histórias ambientadas em dois países?

 

Já leu algum livro da Flyve?

@fala.werneck_anoitequotes

 

Melhores Trechos

 

“Estava com aquele sentimento de querer sumir por alguns instantes, isolar-se e não pensar em nada.”

 

“— Ora, doutor, as ruas também têm memória. Já pensou quantas coisas se passaram por aqui, desde que meus antepassados escravos pavimentaram esse chão?”

 

“— Os ecos do passado andam por aí, nas sombras.”

 

“— As coisas continuam a sua frente, doutor. É que talvez nunca tenha reparado na maioria delas, por isso está confuso.”

 

“— A vida é uma questão de escolha, doutor, e nem sempre temos muitas opções.”

 

“Sentiu aquele gosto de saudade de um tempo em que tudo parecia encantado e bom.”

 

“— Algumas partes de nós morrem o tempo todo. Não se iluda. O importante é renascer.”

 

 

@fala.werneck_arteimp

 

Melhores Trechos

 

“O mundo não precisa ser desse jeito.

É possível mudar.”

 

“Bibliotecas representam liberdade.

Liberdade de ler, liberdade de expressar

ideias, liberdade de se comunicar.”

 

“Mas a verdade é que os

indivíduos estão sempre mudando o mundo,

os indivíduos criam o futuro, e fazem

isso imaginando que as coisas

podem ser diferentes.”

 

“Fazer arte nos ajuda a atravessar os tempos bons

e os nem tão bons assim.”

 

 

@fala.werneck_primacimadobemedomal

 

O livro já começa com uma cena chocante em que a personagem principal, Alina, faz uma escolha que mudará a sua vida e determinará a forma como ela enxerga o seu trabalho.

 

A mulher é uma policial que se tornou delegada e vai lutar e investigar com ímpeto para desmantelar esquemas criminosos e prender bandidos.

 

Só que tudo se complica quando ela faz uma operação para flagrar integrantes da máfia turca no Rio e a operação não dá resultados.

 

Para piorar, agora o chefe da máfia quer acabar com a vida dela.

 

A leitura flui, comecei e quando percebi já estava no capítulo 9.

 

Os capítulos alternam entre a visão da Alina e do Leonardo (homem da máfia que ela tentou flagrar e neto do chefe); o que é interessante, porque assim vamos descobrindo aos poucos como é a vida deles e o porquê de cada um fazer suas escolhas.

 

O Leonardo é um homem perigoso, mas possui muita tristeza e mágoa no seu passado. Ele foi conduzido para essa vida profissional e está buscando uma forma de obter vingança e proteger as pessoas que mais ama.

 

Por acreditar que a Alina não merece perder a vida por estar apenas fazendo o seu trabalho, ele decide ajudá-la e encontra como solução uma proposta que pode ser uma loucura…

 

Quero só ver se isso vai dar certo e como a Alina vai se virar para fingir toda a situação; além de nem ao menos saber falar o idioma.

 

Estou na parte em que eles acabaram de chegar na Turquia e eu já quero ver quando voltarão para o Brasil.

 

Você conhece o livro?

 

@fala.werneck_resenhaanoite

 

Editora: Gruidher.

Páginas: 84.

 

A vida dá oportunidades

 

Você já pensou em quantas histórias e quantas vidas existem e passaram pelos caminhos que você percorre e nem percebe?

 

Davi é um advogado, que se tornou presidente da empresa onde trabalha, e em uma noite diferente encara muitas verdades sobre si mesmo.

 

Através de uma jornada de autodescoberta, o personagem principal começa a constatar quantos equívocos tem cometido e quantos erros precisam ser reparados.

 

O leitor irá conhecer nessa história uma mistura de realidade cotidiana com elementos fantásticos.

 

Um homem está saindo do trabalho, mas aquela não é uma noite comum, é a mais escura do ano… E quando ele sai do prédio e se perde inexplicavelmente, verdades sutis e permanentes são reveladas.

 

A vida tem o poder de impressionar, surpreender, chocar… Só que ela também permite novas chances, aprendizados e nos ajuda a evoluir e também sermos pessoas melhores.

 

No entanto, é preciso estar atento, receptivo, se permitir olhar para o outro verdadeiramente. Quantas vezes passamos por outras pessoas sem perceber quem são, como estão ou sequer notar que elas estão ali?

 

A distração e a indiferença são grandes problemas da nossa sociedade e isso nos afasta cada vez mais.

 

A autora nos mostra com delicadeza como essa indiferença pode se tornar arrependimento quando é percebida; e com isso evidenciar que não somos tão diferentes assim.

 

Todo mundo, em algum momento, já deixou de retribuir um cumprimento; já quis uma nova chance para agir diferente; descobriu que poderia ter feito um pouco mais; desejou ter tentado ser mais sensível e empático.

 

Somos humanos, vamos falhar, é normal.

 

O importante é reconhecer esses equívocos e tentar fazer diferente.

 

O Davi tem uma noite cheia, impressionante e repleta de companhias diferenciadas que o fazem perceber o quanto pode melhorar e que tudo isso começa com pequenos gestos, algumas palavras e a sensibilidade da alma.

 

O catador de papelão mostrou que eles não são tão diferentes assim, ambos têm histórias, destinos e tentam viver a vida como podem.

 

A florista evidenciou a frieza que ele tinha em tantas situações e como isso é trágico.

 

Os músicos mostraram que a vida continua, mesmo com as perdas. E a gente precisa aprender a seguir buscando os instantes de alegria.

 

Uma obra que nos faz querer saber muito mais sobre vários personagens, como a florista.

 

Além de lembrar que o tempo passa e as oportunidades também… Se não fizermos algo, pode ser tarde para tentar de novo. Mas a primeira jornada, e mais transformadora, é para dentro de nós mesmos.

 

Por isso, a hora de começar é agora.

 

@fala.werneck_aconteceuresenha

 

Editora: Rico.

Páginas: 57.

 

Renovação do Casamento

 

A escritora Janaina tem criado contos temáticos que são ambientados em eventos na mansão da Ana Maria de Carvalho, uma socialite que adora festas expansivas.

 

Desta vez, nós iremos conhecer o casal Eduardo e Sofia, que está passando por problemas no casamento e encontra nessa festa uma oportunidade de se redescobrir.

 

Mesmo casamentos construídos com amor podem ser abalados pela vida cotidiana, que pode afastar e sobrecarregar qualquer um…

 

Eduardo é um homem que fez sucesso quando surfava, mas hoje se dedica aos filhos e à casa; enquanto Sofia é uma mulher bem-sucedida e influente no mercado de joias, mas que não consegue se conectar com os filhos e o marido.

 

No entanto, ainda que o amor exista, eles não estão conseguindo se entender. Até que, na festa, a Sofia e o Eduardo encaram uma situação que mostra para eles o momento certo para tomar uma atitude: o agora.

 

Um conto curtinho que nos mostra a importância da conversa e de mostrar o que você sente para assim conseguir viver bem e de forma mais completa com as pessoas que você ama.

 

@fala.werneck_anoiteprimimp

 

Eu gosto da escrita dessa autora porque ela cria reflexões de uma forma diferenciada.

 

Esta é a segunda obra dela que estou lendo e fiquei curiosa desde que ela anunciou o lançamento, porque queria descobrir como seria essa noite mais escura e quem seria transformado por ela.

 

A história começa com um advogado, que conseguiu o cargo que almejava na empresa. Mas perdeu o casamento e não é próximo do filho. Um homem solitário, que tem um caso com a secretária e vive trabalhando até tarde.

 

E então, nessa noite que é a mais escura do ano, tudo começa a ficar estranho quando ele vai embora do escritório sozinho e não consegue achar o prédio onde guarda o carro.

 

Enquanto a gente acompanha as reflexões desse homem sobre a família e o que ele tem feito da própria vida, notamos que as atitudes impensadas e naturais indicam como ele enxerga as outras pessoas, e o quanto evita perceber e reconhecer seus próprios erros e equívocos.

 

Só que a noite parece estar escancarando diante dele o quanto precisa melhorar e pode fazer diferente.

 

Porque é fácil demais julgar e criticar os outros, mas extremamente difícil e doloroso perceber que uma parcela daquela indiferença e crueldade pode estar dentro de si mesmo.

 

Às vezes é preciso presenciar uma situação na qual não esteja diretamente envolvida para que a pessoa compreenda certos gestos, palavras e até silêncios que podem afetar alguém.

 

A proximidade é construída, mas o afastamento também pode ser gerado pouco a pouco, dia após dia.

 

Vamos ver como a história seguirá e se ele conseguirá ajudar a florista que encontrou no beco.