Fala Werneck

@fala.werneck_partidasquotes

 

Melhores Trechos

 

“Seja corajosa, mas tome cuidado. Seja esperta, mas imprudente de vez em quando.”

 

“Então, esse céu aparece e acho que deve ser Deus me perguntando como ouso chafurdar na autopiedade quando ele está me dando esse presente.”

 

“Rio e choro quando corro para seus braços. Braços que sabem exatamente o quanto preciso ser abraçada, contra uma camisa quente que cheira a sal e graxa de motor, e conforto.”

 

“É uma maneira bacana de viver, não acha? Deixar o presente coexistir pacificamente com o passado.”

 

“— Às vezes, você tem que largar o mapa e seguir de acordo com seus instintos.”

 

“— Em algum momento, e digo isso por experiência própria, você vai estar construindo uma nova casa sobre as ruínas da antiga. Quando estiver preparada, você vai saber.”

 

“— É inútil especular o que pode acontecer. O que precisamos agora é não deixar o medo nos controlar.”

 

“Acho que a sua vida interessante só está começando em um momento diferente do meu.”

 

“Os estágios do luto não são lineares. Eles são aleatórios e imprevisíveis, misturando-se uns aos outros até você começar tudo de novo.”

 

“— Quando partiu, achei que você estivesse fugindo, mas aí está você mergulhando de cabeça na vida.”

 

“— Quando você me olhou e disse ‘mudei de ideia sobre aqueles ovos’, seu rosto estava temeroso e firme, e, naquele momento, soube que te seguiria até o fim do mundo, se você me deixasse.”

 

“E somos apenas humanos, colidindo com as muralhas escuras de nossas vidas, em busca da faísca que nos trará a luz. Esperando que não estraguemos tudo.”

 

“Algumas vezes, o universo distribui recompensas.”

 

“Mas estou começando a entender que a tristeza e a felicidade podem ficar lado a lado dentro de um coração. E que esse coração pode continuar batendo.”

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3Fa5KyE

@fala.werneck_porumnovoprim

 

Marina é uma personagem que já começa a história sofrendo ao descobrir que tem câncer e no mesmo dia ver o seu casamento acabar.

 

Semanas antes de uma viagem apaixonante que ela e o marido tinham combinado. Imagine?!

 

Mas ela decide ir assim mesmo para Portugal e, ao reencontrar a amiga Micaela, começa a pensar sobre a própria vida e o que pode vir pela frente.

 

A escrita da autora é encantadora e logo sentimentos que estamos viajando, conhecendo tantos lugares lindos em Portugal.

 

O romance que está começando já me conquistou e torço para a Marina dar uma chance e tentar lutar por um futuro repleto de amor.

 

Só que ela não está fazendo o acompanhamento e nem falou a verdade sobre isso para a amiga e o Edu. Ainda vai dar problema isso, hein?! Quero só ver…

 

Espero que ela faça o tratamento e consiga ficar bem.

 

Depois de tudo que já sofreu, merece dias mais felizes e momentos mais amorosos.

 

E o Eduardo está ali, superando seus próprios traumas e tentando ajudar as pessoas.

 

Vou continuar a leitura para descobrir como essa verdade dolorosa será revelada.

 

O que vocês acham que pode acontecer agora?

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3Aqn4ia

@fala.werneck_ummilagreprim

 

Lara sempre quis ser mãe e, mesmo com todas as dificuldades, acreditava que formaria uma família com Otávio, seu noivo.

 

No entanto, depois de mais um processo de fertilização que deu errado, ela finalmente descobriu quem era o homem com quem estava e a decepção pelas mentiras quase a destruiu…

 

O relacionamento acabou, a vida dela perdeu o rumo e então ela buscou sossego para se reestruturar na cidade querida da sua avó.

 

As coisas parecem estar começando a se ajeitar, mas um novo ataque de pânico faz com que Lara questione o próprio progresso. Ainda que tenha conhecido um médico que promete mudar a vida dela…

 

Já estou curiosa para descobrir como se desenvolverá a aproximação da Lara com o médico Miguel. É perceptível que eles sentiram uma conexão e ambos parecem estar precisando de amor e, porque não, alguns novos sonhos.

 

Gostei do livro estar mostrando um pouquinho da situação de crianças que são abandonadas e o quanto elas precisam de acolhimento e amor.

 

É triste e difícil saber que essa é a realidade de tantos seres indefesos, que já começam a vida passando por algo assim…

 

Vou continuar a leitura para ver se o romance surgirá e como será a festa que estão organizando na fazenda.

 

Acho que a Lara vai ficar ajudando e o Miguel vai aparecer.

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3GTXSDi

@fala.werneck_entrevistadaniela

 

Bom dia, Daniela!

 

Conte-nos um pouco sobre você.

Sou uma pessoa que pretende levar o humor das histórias que escrevo para o maior número de pessoas possíveis porque atrás da graça e do riso, existem muitas verdades do comportamento humano. E essa foi a forma que através de uma voz encontrei para mostrar para as pessoas tudo que observei na nossa sociedade por duas décadas. A gíria “Malas” tem duas décadas.

 

As crônicas foram inspiradas em pessoas reais?

Algumas foram sim, é o caso da primeira história que escrevi, o turista-mala. Há exatos 22 anos, em uma viagem para o nordeste do Brasil.

 

Qual você achou mais divertida de escrever?

Eu sempre me divirto com a história quando ela nasce, quando passa da mente para o papel, na primeira escrita. Eu me surpreendi com os “Aborrecentes-malas” escrevi rápido e achei muito divertida a história, o que confirmei ao reler, após alguns dias.

 

Você está representada em alguma das histórias?

Sim. Posso dizer que no Turista-mala a personagem Kika me representa naquela história.

 

Você planeja criar uma “versão expandida” para alguma das crônicas?

Alguns leitores do livro já me perguntam sobre isso. Particularmente, não tinha pensado nisso, mas quem sabe… se ainda veremos um retorno. Rsrs.

Vou ficar torcendo por esse retorno! Hehe.

 

O que te motivou a começar a escrever?

O livro foi uma necessidade grande de criação literária. Eu adiei a publicação dele para continuar estudando literatura, penso eu, porque foi o que fiz por muitos anos e ainda o faço, por gostar de estudar uma área que me fascina. É uma paixão.

O estudo literário é fascinante mesmo, e acredito que a publicação também seja uma experiência muito especial.

 

Como está se sentindo agora concorrendo ao Prêmio Ecos da Literatura? Poderia falar um pouco sobre a indicação?

Estou contente em participar e concorrer, o livro é um projeto de muitos anos que foi planejado, sonhado e guardado. Rsrs. Agora, finalmente, foi realizado e concretizado, é realidade. Eu olho para ele e releio as histórias para acreditar. Ele amadureceu junto comigo. Ele significa muito para mim e tenho um carinho imenso por ele.

Fico feliz com mais essa conquista sua e estarei torcendo muito!

 

Quais são os principais desafios para a vida de um autor?

No primeiro livro, tudo é novo! E é um desafio diário as etapas que envolvem uma publicação, depois a divulgação e a comercialização. Com as novas publicações, acredito que a experiência favoreça todo o processo.

 

Agora, vamos conversar sobre alguns gostos pessoais. Qual é o seu gênero literário preferido? E qual é o que menos gosta?

Eu gosto de humor, comédias românticas, chegando até ao drama. O que menos gosto é terror ou horror, por medo mesmo. Rsrs.

 

Qual é o seu autor favorito?

Para o gênero do humor, o mestre da crônica de costumes, o escritor Luis Fernando Veríssimo.

 

Você prefere livros físicos ou digitais?

Eu tenho preferência por livros físicos, mas agora estou começando a ler livros digitais.

 

Qual é o seu maior hábito de escrita?

Eu gosto de silêncio, mas nem sempre consigo. Rsrs. Tinha uma obra no prédio quando finalizei “Somos Todos Malas”.

 

Já está planejando o seu próximo livro? Pode nos contar um pouco sobre o projeto?

Sim, os Malas continuam na vida e nas minhas histórias. Terá uma continuação, os Malas novos, o retorno dos Malas 2. Rsrs.

Oba! Já quero conhecer as novas histórias! Tenho certeza de que iremos nos identificar novamente com as situações e os personagens que sempre são tão reais.

 

Atualmente, qual é o seu sonho?

Que “Somos Todos Malas” alcance cada vez mais e mais leitores. Desde a publicação em final de junho de 2021, este foi e é o meu principal objetivo. E que os leitores se identifiquem com a obra e identifiquem “o outro”, através do jeito “Mala” de ser dos personagens, que refletem os costumes da sociedade brasileira do século XXI.

Realmente, não tem jeito, nós todos somos malas mesmo! Rsrs.

 

Muito obrigada pela conversa!

E espero que as suas histórias continuem conquistando leitores e divertindo os dias de muitas pessoas.

 

Precisamos de histórias assim para refletir, distrair e também iluminar aqueles dias nublados.

 

@fala.werneck_caligulaprim

 

Finalmente comecei a leitura do sexto e último livro desta série sobre os Senhores de Roma.

 

A história de Calígula, um dos mais complexos personagens históricos, é repleta de questões chocantes; e será narrada por Lúcio, um dos oficiais do exército de Germânico (pai de Calígula).

 

Lúcio começa falando sobre a época em que serviu no exército e como conheceu e se aproximou da família imperial.

 

Calígula foi o “apelido” que os soldados deram para Gaio, o caçula de Germânico; um menino que adorava passear pelo acampamento com sua espada de madeira e dar ordens aos soldados, que achavam graça e se divertiam com a criança.

 

Ele ainda era pequeno quando o pai morreu e a mãe se tornou ainda mais determinada a incitar teorias da conspiração e influenciar ouvidos alheios contra o atual imperador, Tibério.

 

Mais um vez, acompanhamos intrigas políticas e conversas dúbias. nas quais todos os envolvidos desconfiam uns dos outros.

 

Assim, já podemos perceber que a infância do menino foi repleta de exemplos e influências tempestuosas. A mãe vivia alardeando que o marido tinha sido assassinado e que queriam destruir ela e os filhos.

 

Quero só ver como ele irá crescer e quando se tornará imperador.

 

Nero era o filho mais velho, mas como que Calígula foi quem assumiu o poder e se tornou imperador?

 

Vou continuar a leitura para descobrir como tudo isso aconteceu.

 

E acho que li esses volumes finais na ordem “invertida”.

 

Como Calígula foi imperador antes, deveria ter lido o livro dele antes do que fala sobre o Nero.

 

Mas não tive problemas com a leitura, entende? Menciono isso por causa da ordem cronológica desses governos…

 

Agora me conte, já começou a leitura de algum romance histórico em 2022?

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3Ipd1N6

@fala.werneck_melhoresnov

 

  • Melhor livro: Confidências de uma ex-popular. A escrita da Ray está ainda melhor e a história é cativante e imperdível. Renata é uma personagem que nos faz pensar sobre solidão, amizade e o que realmente importa na vida. Foi a melhor leitura do mês porque me fez rir, chorar e querer guardar essa personagem (e alguns outros) em um potinho.

 

  • Melhor quote: “Definitivamente não somos iguais e é maravilhoso saber que cada um de nós que está aqui é diferente do outro, como constelações.” (Ideias para adiar o fim do mundo – Ailton Krenak)

 

  • Melhor filme: Harry Potter e a Pedra Filosofal. O melhor do mês teria que ser esse, porque reviver essa emoção especial no cinema foi muito especial. Harry Potter tem um lugar especial no meu coração, pois cresci com os livros e filmes. E várias das mensagens são para sempre mesmo. ❤️

 

  • Melhor série: The Bold Type. Terminei de assistir a terceira temporada e também vi parte da quarta. A história dessas amigas é cada vez mais acolhedora. Uma das minhas séries favoritas do ano!

 

 

@fala.werneck_acasaresenha

 

Editora: Coerência.

Páginas: 247.

 

A essência da vida

 

A vida pode ser bem diferente do que poderíamos prever e Caroline vai constatar isso da pior forma possível ao se decepcionar com o noivo.

 

Mas ela é uma mulher que não se deixa abater e decide mudar de cidade para recomeçar.

 

No entanto, mais uma vez, ela vê tudo mudar, porque os mistérios cercam a casa onde está morando e o seu local de trabalho parece cheio de segredos também.

 

Acompanhamos então a jornada dessa mulher para se recuperar enquanto lida com novos pacientes, que vão ensinar muito para ela. Especialmente a Helena.

 

Cada cena com a Helena, suas reflexões e grandes lições, faz o leitor desejar que essa incrível mulher seja real para poder conhecer alguma das suas obras.

 

Mas ela é apenas uma personagem ficcional muito bem construída.

 

A narrativa do autor nos envolve e ficamos torcendo para que a Caroline descubra qual é a sua conexão com o capitão e quais são os segredos que a Laura, dona do Centro Médico, esconde.

 

E então, mesmo criando várias teorias, o leitor pode perceber que nem tudo é o que parece e alguns personagens são mais complexos do que o previsto.

 

Caroline amadurece, aprende a lidar com suas inseguranças e precisa encarar algumas verdades dolorosas e escolhas difíceis, especialmente nas questões amorosas.

 

A vida pode ser interrompida de forma abrupta e alguns destinos não conseguem cumprir seu próprio tempo.

 

Mas a essência da vida é mais forte que tudo e supera todas as barreiras.

 

Por isso, quando Caroline descobre o que realmente aconteceu e quem aquelas pessoas são, caminhos se apresentam e ela precisará escolher quem deseja ser dali para a frente.

 

Uma obra cativante que fala sobre os diferentes tipos de amor, o valor das novas oportunidades, a importância do tempo e o poder inabalável do amor.

 

Um livro que vai te conquistar!

 

Compre na Amazon: https://amzn.to/3HXrRdo

 

E se você quiser conhecer mais sobre essa e as outras obras do autor, visite o site: https://www.alexbitten.com.br/

@fala.werneck_naoveraspaisnenhumresenha

 

Editora: Global.

Páginas: 424.

 

Cadê o Brasil?

 

O Brasil tem problemas. Nosso país tinha problemas há 40 anos, quando “Não verás país nenhum ” foi escrito, e continua tendo dificuldades até hoje.

 

Algumas adversidades mudaram, outras permanecem iguais mesmo depois de décadas…

 

A escrita do Loyola mais uma vez impressiona e se mostra visceral por trazer uma representação do Brasil que impacta pela sua atualidade e proximidade com o que vivemos.

 

Ainda que seja uma obra distópica, repleta de elementos que excedem a realidade, o autor cria uma narrativa que critica as principais falhas da sociedade brasileira.

 

E lendo sobre esse país que possui um deserto enorme, controla o uso de água e a obtenção de comida, um lugar que criou uma forma manipulada de introduzir elementos nos alimentos para que as pessoas não questionem, não se revoltem, sejam mais passivas e fáceis de serem conduzidas… A gente se assusta com as possibilidades.

 

Alimentos que nem mereciam essa nomenclatura por irem destruindo organismos e consumindo as pessoas de uma maneira que muitas se tornam quase irreconhecíveis de tão doentes.

 

Impossível imaginar uma realidade assim, não?

 

Mas sabemos que existem muitos meios de se controlar as pessoas e manipular as ideias e ações.

 

Além disso, ao acompanharmos Souza e a sua jornada reflexiva e assustadora, nos surpreendemos com as representações de situações que fazem referência a alguns momentos tenebrosos da humanidade, como a Segunda Guerra Mundial.

 

E o leitor sente o desespero e o desânimo diante de situações que não apresentam uma saída.

 

Pessoas são direcionadas, manipuladas e quando enxergam o que está acontecendo é tarde demais. As marquises são bizarras!

 

Uma obra que representa um alerta para a forma como agimos e deixamos a sociedade agir.

 

Porque cada um tem a sua parcela de responsabilidade e, consequentemente, de culpa.

 

Dessa forma, terminamos a leitura questionando que tipo de Brasil estamos ajudando a moldar.

 

Você já parou para pensar sobre isso?

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/31AC2W3

@fala.werneck_quotesantesquevoce

 

Melhores Trechos

 

“Talvez as pessoas que parecem corajosas estejam apenas fazendo o que têm que fazer.”

 

“Após anos diminuindo a si mesma, é estimulante ocupar um espaço pela primeira vez e forçar as pessoas a saírem do caminho dela.”

 

“Há um mundo inteiro fora dessas paredes de tijolos e ela finalmente está pronta para abrir o caminho através delas.”

 

“Quando algo tão importante é dito em voz alta, esse algo se senta e espera que você o resolva, não importa o quanto se esforce para ignorá-lo.”

 

“[…] como é fácil assumir que você é a causa do desconforto ou desdém de outra pessoa, quando a realidade é que todos nós aparecemos com as consequências das nossas noites anteriores, das nossas horas pela madrugada e das manhãs acordando cedo demais.”

 

“Ninguém vive apenas uma vida. Começamos e terminamos nossos mundos muitas vezes.”

 

“[…] algumas conversas são melhores sendo mais reservadas para as pessoas que entendem você.”

 

“(Por que as pessoas, as boas, sempre parecem culpar a si mesmas quando alguém as engana? Parece que, quando isso acontece, os bandidos escapam impunes com mais do que apenas seus crimes óbvios.)”

 

“Acontece que o passado adere a tudo o que toca. Você não pode simplesmente apagá-lo.”

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3ENQFTm

@fala.werneck_resenhapartidas

 

Editora: Faro Editorial.

Páginas: 254.

 

Sinta a beleza da vida

 

Anna vê o seu mundo desmoronar quando o noivo morre.

 

Mas depois de muitos meses meio anestesiada e sem saber o que fazer, uma notificação no celular a leva a tomar uma decisão impulsiva e fazer sozinha a viagem que tinha planejado com o Ben.

 

Enquanto vai seguindo a rota preparada por ele, e tenta honrar a memória do jovem através da realização do sonho que ele possuía, ela vai refletindo sobre as próprias escolhas, descobrindo belezas singulares e fazendo amizades importantes.

 

Uma história que vai te envolver completamente e despertar muitas emoções.

 

Anna pode representar o retrato de cada um de nós, que precisa encarar o inesperado, lidar com o turbilhão emocional, compreender os seus próprios limites e aprender a pedir ajuda.

 

Desapegar não quer dizer esquecer, mas entender que certas questões precisam ficar no passado.

 

Keane é outro personagem que vai conquistar o leitor, um homem que também está aprendendo com o seu passado e tentando focar em tudo de bom que pode vir pela frente.

 

Diante de traumas, pode ser muito difícil abandonar a revolta e a autopiedade, mas é extremamente necessário para que a vida mostre que existem outras formas de encarar certas limitações.

 

Duas pessoas diferentes que vão aprendendo algo a cada dia no mar.

 

Eles aprendem sobre respeito, amizade, espaço, acolhimento, sensibilidade, motivação.

 

Cada um tem o seu tempo, mas o equilíbrio vai sendo construído e é lindo de ler.

 

Uma história que vai aquecer o coração e te deixar com vontade de viajar.

 

Porque afinal de contas…

 

“[…] estou começando a entender que a tristeza e a felicidade podem ficar lado a lado dentro de um coração. E que esse coração pode continuar batendo.”

 

Compre o livro na Amazon: https://amzn.to/3Fa5KyE