Fala Werneck

filmesparaassistir

 

Hoje trouxe a lista dos filmes que quero assistir até o final do ano.

  • Uma linda mulher
  • A sociedade literária e a torta de casca de batata
  • O anjo do Mossad
  • Para todos os garotos que já amei
  • Vidas à deriva
  • The little mermaid
  • Sol da meia-noite
  • Love, Simon
  • Do jeito que elas querem
  • The healer
  • Trama fantasma
  • I can only imagine
  • Tudo e todas as coisas
  • O quarto de Jack
  • O banqueiro da resistência
  • Agnus Dei
  • Farol das Orcas

 

Alguns estão na Netflix e outros não… E vocês, ainda querem assistir muitos filmes em 2018? 🙂

 

cartasficticiasabailarina

 

Paris, 15 de junho de 1870

 

Querida Madame Odette,

 

Venho através desta carta declarar o meu apreço por você da maneira mais respeitosa possível.

Por anos acompanhei seu amargor pela vida depois daquele fatídico incêndio durante a apresentação do Lago dos Cisnes. E me doía profundamente ver-lhe ignorar que a sua vida é mais do que o balé. Acompanhei de perto toda sua dedicação e amor pela dança na época; e naquela noite o fogo danificou mais do que o seu pé, ele dizimou a sua alegria.

Félicie, com todo seu ímpeto questionador e espontaneidade acabou conquistando seu coração. E pude notar que isso te libertou um pouco do passado.

Essa garotinha órfã mostrou a paixão que eu não via desde quando éramos jovens; e por ter nos lembrado o que é realmente correr atrás dos seus sonhos, ela me fez perceber que já perdi tempo demais sem lhe dizer, o quanto é importante na minha vida.

Você, minha queria, é graciosa e adorável; seja usando uma sapatilha de balé ou segurando uma vassoura.

Meus dias são mais agradáveis quando lhe vejo.

Por isso, gostaria de lhe convidar para jantar comigo no sábado, na taverna local; a Félicie e o Victor costumam ir lá esporadicamente, mas acredito que não seria um problema nos verem juntos.

Aguardo ansiosamente sua resposta.

 

Com amor,

seu Mérante Le Raut

 

Esta é uma carta que inventei baseada em dois personagens do filme A Bailarina.

Não está sabendo sobre esse projeto? Confira o post no qual explico os detalhes.

 

diadascriancas

 

Hoje eu trouxe uma lista com alguns filmes que lembram a minha infância. 🙂

 

  • 101 Dálmatas (1961)
  • Cinderela (1950)
  • A Bela e a Fera (1991)
  • O Rei Leão (1994)
  • Dumbo (1941)
  • Barbie: Lado dos Cisnes (2003)
  • Barbie: O quebra-nozes (2001)

 

Pretendo aproveitar o fim de semana para retornar à algum desses clássicos.

 

E você, quais filmes lembram a sua infância?

 

cartasficticias

 

A leitura de Ainda não te disse nada me fez lembrar a emoção que as cartas nos traziam.

 

Escrever uma carta era instigante e angustiante ao mesmo tempo, pois você precisava escolher bem as palavras e o que era realmente necessário dizer naquele momento.

 

E receber uma carta era mais envolvente ainda. A alegria em receber aquele envelope endereçado à você por alguém que se importa ao ponto de “gastar” tempo lhe escrevendo e indo ao correio enviar essa mensagem.

 

Mas atualmente este ato parece perdido.

 

A tecnologia trouxe muitas facilidades e nos permitiu conhecer o mundo apesar das limitações que a vida traz, mas também ofuscou um ato cotidiano e agradável: o de conversar com alguém, falar sobre sentimentos e mandar notícias através de um pedaço de papel.

 

Em homenagem a esse sentimento nostálgico resolvi criar esse projeto “E se… Cartas Fictícias”, nele irei inventar cartas entre personagens de algum filme ou série que tenha assistido.

 

Espero que gostem e se entreguem também a essa atividade saudosa.

IMG_0642

Lista

Uma noite com Audrey Hepburn é uma leitura muito divertida, adorei o livro!

Durante a narrativa, a personagem cita alguns filmes e decidi montar essa lista para que depois possa assistir a todos (e claro, rever Bonequinha de Luxo).

 

  • Quanto mais quente melhor
  • A felicidade não se compra
  • A princesa e o plebeu
  • Casablanca
  • Crepúsculo dos deuses
  • Cidadão Kane
  • Bonequinha de luxo
  • Matrix
  • Os Guardiões da Galáxia
  • As cinzas de Ângela
  • Sabrina
  • Clube da luta
  • Psicose
  • O mágico de Oz
  • Harry Potter
  • Charada
  • Cinderela em Paris

 

 

Cada livro/filme/série é um universo em si mesmo. E deve ser valorizado como tal.

Numa era ‘netflix’ onde é possível maratonar filmes e séries a qualquer momento, nossos olhos se tornam desatentos e muitas vezes assistem distraídos um conteúdo que foi construído através de um trabalho demorado, dedicado e dispendioso.

Precisamos voltar a valorizar mais o entretenimento e lhe dar seu devido valor. Voltar a olhar com olhos curiosos, atentos e dedicados; como fazíamos há alguns anos, quando precisávamos esperar meses, às vezes até um ano inteiro, ou mais tempo ainda, para ler um livro, assistir um filme.

Precisamos voltar a valorizar as obras que são criadas.

Apreciar as atuações, as histórias, as narrativas criativas, às vezes repetitivas, mas que exigiram trabalho, exigiram atenção. E a atenção é o mínimo que nós também devemos dar em troca.

Se continuarmos desatentos e distraídos, nós mesmos seremos prejudicados; porque estaremos perdendo a oportunidade de apreciar obras únicas, singulares. Estaremos perdendo momentos, perdendo experiências. Cada livro que se lê, cada filme e série que se assiste, é uma porta para o infinito que pode ser aberta. Um infinito de análises, interpretações, sentimentos, ideias, possibilidades.

Quem se lembra do tempo em que a gente lia de novo, assistia de novo…? Isso não é perda de tempo, é apreciar os detalhes.

Reflita mais.

Analise mais.

Se envolva mais.

E se permita sentir cada obra.

Seja ela boa ou ruim, é questão de opinião. E toda opinião deve ser respeitada.

Permita-se.

Valorize.

IMG_20180501_151516_382

Maio é um mês especial porque o blog estará completando dois anos no dia 02!

 

Estou muito empolgada com algumas ideias e espero trazer muitos conteúdos novos e interessantes, levando os leitores a refletir sobre o universo dos livros, dos filmes e das séries; como também enfatizar a importância de se discutir os problemas da nossa sociedade, do nosso país, e o que podemos fazer para ajudar.

 

É fundamental que as pessoas percebam que os livros são um instrumento importante nessa reflexão diária da vida. Os livros nos ajudam, nos esclarecem, nos fazem ter empatia e vivenciar experiências e possibilidades que talvez nunca viríamos a conhecer de uma outra maneira; por isso, vamos ler mais, debater mais, e valorizar cada obra que chega às nossas mãos. Que sejamos mais abertos a conhecer os diferentes gêneros literários e que o preconceito literário se transforme em algo ‘do passado’.

 

Leia hoje, leia mais, leia sempre!

 

Além de explicar a importância desse mês para o blog, quero comentar uma coisa boa que aconteceu hoje: recebi os ingressos do filme Severina que ganhei no sorteio do Instagram da Editora Rocco! E dar uma noticia: em maio vai ter post todo dia!

 

rocco

 

Aguardem!

 

um_lugar_silencioso_paramount

 

Um lugar silencioso é um filme impressionante! Que te deixará tenso do início ao fim.

 

O mundo está “acabado”, os seres humanos tentam sobreviver se escondendo de criaturas, que de tão violentas, são letais. No entanto, essas criaturas não enxergam, o que as incita e as faz atacar é o barulho; então as pessoas vivem da maneira mais silenciosa possível.

 

A história acompanha uma família de cinco pessoas: o pai, a mãe, o filho mais novo, o filho do meio e a filha mais velha (que é surda). Em nenhum momento se fala o nome deles.
Um dia eles saem para pegar suprimentos, e tragicamente a criança mais nova morre, ao pegar escondido um brinquedo que faz barulho. A menina se culpa, os pais se culpam, o outro menino fica ainda mais angustiado e com medo.

 

Mas eles continuam vivendo e sobrevivendo. Uma vida silenciosa no porão da casa e se comunicando com a linguagem de sinais.

 

A mulher engravida, a tensão aumenta.

 

Eles começam a enfrentar desafios cada vez maiores, e você pensa que eles não vão conseguir silenciar tudo isso!

 

Mas eles são fortes, lutam a cada segundo, a cada respiração.

 

Sacrifícios são feitos, a esperança é esmagada cena após cena, até que uma solução parece surgir, de uma maneira curiosa e diferente. Eles lutam, o tempo todo, e farão de tudo para sobreviver, lutando sempre. O pai faz um sacrifício impressionante numa cena comovente e uma das mais dramáticas.

 

O filme te deixará tão angustiado ao ponto de você sentir a tensão no corpo inteiro!

 

Ele nos faz valorizar o silêncio. E perceber o quão barulhentos nós somos.

 

 

 

A imagem pertence ao estúdio Paramount.

Precisamos acreditar!

Assistindo diversos tipos de filmes, nos deparamos com personagens que trabalham duro, persistem e conquistam o que sempre sonharam mesmo que muitas pessoas tenham duvidado disso.

Escolhi hoje 3 personagens para homenagear todos esses trabalhadores do mundo, que batalham a cada dia para conquistar um futuro melhor, para alimentar suas famílias, buscando ser feliz mesmo diante das dificuldades, mesmo diante do cansativo dia de trabalho, (que para muitos começa bem cedo, de madrugada) porque independente do horário, todos acreditamos em dias melhores e em nos dedicar para alcançar o que desejamos. Por isso acredite e vamos trabalhar!

Noah – Diário de uma Paixão

Noah é um homem apaixonado pela vida e por Allie, e mesmo com os desencontros da vida, ele mostra a força de sua dedicação ao trabalho ao reconstruir uma casa “meio abandonada” para torná-la o que imaginava, e esse trabalho dura anos, ele persiste, acredita, se esforça, e enfim consegue deixar a casa como imaginava, como eles imaginaram no passado.

Noah nos mostra como devemos acreditar no que é importante para nós e batalhar a cada dia para fazer aquilo acontecer, e mesmo que demore anos, não podemos desanimar porque quando terminarmos iremos perceber que valeu a pena.

Outra característica admirável no Noah é a capacidade de buscar a beleza nas pequenas coisas, e a satisfação no cotidiano que pode ser relaxante e divertido. O trabalho não precisa representar sofrimento.

Joy – Joy: O nome do Sucesso

Joy é uma mulher que passa por diversas dificuldades, é integrante de uma família complicada e tem dois filhos para criar. Ela sempre foi criativa e tenta investir nisso para tentar melhorar de vida, ela inventa produtos úteis para as pessoas comuns, e mesmo com criações de destaque ainda enfrenta várias dificuldades desde pessoas que tentam se aproveitar de sua ideia, como também os problemas gerados pelo próprio pai e pela irmã. Mas ela continua sua batalha e enfim conquista seu merecido reconhecimento.

Joy nos ensina a persistir, a acreditar sempre, e a continuar lutando mesmo quando as coisas se tornam praticamente insuportáveis. Ela expressa o poder que existe em cada um de nós, se decidirmos tentar e não aceitarmos como opção desistir. Uma característica fundamental para todos os trabalhadores atuais é a de se adaptar, melhorar, expandir seus horizontes. E Joy representa bem essa característica, pois era “apenas” uma dona de casa que inventou coisas incríveis e fundamentais para auxiliar as pessoas em tarefas cotidianas, mas além de ser inventora ela se tornou vendedora, empresária, mostrando como não podemos nos limitar. Se tentarmos, podemos ir além. É preciso acreditar e tentar, mesmo com os problemas, mesmo com as dificuldades surreais que podem surgir, mesmo com os problemas que as pessoas mais próximas a nós podem causar. Lute e você irá conquistar!

 Adam – Pegando Fogo

Adam Jones é um chef de cozinha que busca superar os problemas da vida e alcançar o sucesso através da conquista de estrelas no Guia Michelin de restaurantes. Ele passa por diversos conflitos dentro do restaurante e fora dele também. Mas a medida que vai aprendendo a lidar com as situações e a ser mais receptivo, a situação vai melhorando.

O Adam nos mostra como as pessoas que já possuem conhecimento na área em que atuam podem ser prepotentes e egocêntricas, por possuir experiência e algum reconhecimento. Mas ele nos mostra também a importância de se trabalhar em equipe, de aprender a ouvir a opinião dos outros e de se abrir o suficiente para reconhecer que as pessoas que nos cercam sempre têm algo a nos ensinar. O cozinheiro precisou passar por muitas coisas ruins, precisou sofrer e se decepcionar com o resultado de suas próprias criações para perceber que é preciso se abrir para o novo, para novas pessoas, novos conhecimentos e novas experiências. Só assim você irá conquistar tudo o que tem capacidade.

Cada um desses trabalhadores, fictícios ou não, tem uma lição a nos ensinar: é preciso ter persistência, acreditar, lutar, e ser receptivo ao novo. A cada dia podemos aprender algo, a cada experiência no trabalho, podemos evoluir de alguma maneira, é preciso que estejamos presentes de corpo e alma para não perdermos as oportunidades que a vida nos propicia.

Por isso, vamos celebrar o dia do trabalho!

Para todas as pessoas que sabem o valor do trabalho diário; para as que estão desmotivadas, tente algo novo, experimente tornar algo que gosta rentável; para os que estão estagnados, lembre-se que você mesmo é o que te impede de ir além, portanto expanda seu mundo; para os que estão cansados, amanhã será um dia melhor, o que você está construindo vai dar resultados satisfatórios, só não pode desistir. E para os que estão conquistando tudo que sonhavam: parabéns! Continue tentando, pois como dizem ‘o céu é o limite’.