Fala Werneck

umaviageminesperada

Trechos

“Não diria insignificante, mas a experiência me fez pensar que somos só mais alguém ali no meio e que não precisamos carregar o mundo inteiro nas costas.”

 

“Eu era apenas um pontinho ali no meio de tanta gente e me sentia muito bem sendo apenas isso por um momento.”

 

“Por mais linda que tivesse sido a viagem, por mais bonita que Paraty fosse, por melhores que fossem os amigos que fiz, eu sabia bem qual era o meu lugar no mundo.”

 

“Fiquei observando as casas à minha volta e imaginando o que as pessoas que moravam nelas estavam fazendo naquele exato momento.”

 

“Um sonho bom. A sensação de estar em um país tão diferente do meu, conversando em outro idioma com uma pessoa que horas antes eu nem sabia que existia e ouvindo uma música ela primeira vez era incrível.”

 

“Era um daqueles momentos que a gente tem certeza que vai sentir saudade depois. Eu vivia por momentos assim.”

 

“Eu estava em casa, e esse sentimento nunca iria mudar, não importa pra onde eu fosse ou quanto tempo ficasse longe”

 

“-Pena que a gente acorda dos sonhos – continuei. – Pena que em algum momento eles acabam.”

 

“Mesmo se nunca mais nos encontrássemos, iríamos nos lembrar pra sempre que um dia nossas existências se cruzaram em um episódio especial de nossas vidas.”

seeker

 

Pude notar que o livro parece ser uma fantasia muito bem escrita e traduzida. A leitura já começa com Quin, uma jovem determinada e boa lutadora que quer provar o seu valor, fazer o juramento e se tornar um Seeker.

 

Ela e seus dois amigos, John e Shinobu, lutaram para mostrar que as habilidades foram aprendidas e o tempo de treinamento acabou.

Quin e Shinobu passaram no teste e vão fazer o juramento, mas o destino de John ainda é incerto.

 

As batalhas são lutadas com empolgação e frieza, mas Quin percebe que ainda precisa aprender a controlar seus pensamentos nesses momentos, ou a distração será sua ruína.

 

O livro parece interessante e dá indícios da existência de uma disputa familiar…

tbr novembro

 

Novembro me aguarda!

Confira as sinopses.

 

Ofício de Escrever – Frei Betto

Escrevo para ser feliz. Bartheanamente, para ter prazer. Sabor do saber. Tecer textos. Tanto que, uma vez publicado, o texto já não me pertence. É como um filho que atingiu a maturidade e saiu de casa. Já não tenho domínio sobre ele. Ao contrário, são os leitores que passam a ter domínio sobre o autor e sua obra. Nesse sentido, toda escritura é uma oblação, algo que se oferta aos outros. Oferenda narcísica de quem busca superar a devastação da morte. O texto eterniza o autor.

Escrevo também para sublimar minha pulsão e dar forma e voz à babel que me povoa interiormente. A literatura é o avesso da psicanálise. Quem ocupa o divã é o escritor, que convida o leitor a ser seu analista. Deitado ou recostado, ouve nossas confidências, decifra nossos sonhos, desenha nosso perfil, apreende nossos anjos e demônios. Por isso, assim como os psicanalistas evitam relações de amizade com seus pacientes, prefiro manter-me distante dos leitores. Não sou a obra que faço. Ela é melhor e maior do que eu. No entanto, revela-me com uma transparência que jamais alcanço na conversa pessoal.

 

Roube meu coração – Susan Mallery

Desde cedo, Maya Farlow aprendeu do modo mais amargo a não contar com os outros. Quando se apaixonou profundamente pelo rebelde e sedutor Del Mitchell, ela tomou a única atitude cabível para evitar a decepção: fugiu para bem longe. Perplexo por ter sido abandonado pela mulher a quem dedicaria sua vida, Del também tomou novos rumos e deixou Fool’s Gold à caça de aventuras radicais e mundos desconhecidos.

Dez anos depois, Maya e Del retornam à cidade. Ela, uma jornalista precisando de uma guinada na carreira, e ele, um empreendedor que acabara de fazer fortuna com uma de suas ideias inovadoras.

Ainda que não fosse do tipo rancoroso, Del não tinha intenção de se envolver mais uma vez com a mulher que ignorara seus sentimentos. Mas havia um problema: em nenhuma de suas expedições, nem mesmo nas mais arriscadas, ele sentira a adrenalina correndo em seu sangue do mesmo modo que acontecia quando beijava Maya. E agora tudo o que Del mais deseja é que ela roube o seu coração novamente!

 

Amanhã eu paro! – Gilles Legardinier

Como todo mundo, Julie já fez muitas coisas idiotas na vida. Ela poderia contar sobre a vez que resolveu descer a escada enquanto vestia um suéter e caiu nos degraus, ou quando tentou consertar um plugue ligado na tomada segurando o fio com a boca, ou quem sabe falar de sua fixação pelo novo vizinho que nunca viu: Ricardo Patatras.

Julie tem o irritante hábito de fazer as maiores loucuras quando está apaixonada. E essa obsessão a leva a prender a mão na caixa de correio do vizinho enquanto espiona uma misteriosa carta… E o pior, ainda é flagrada pelo próprio dono da correspondência.

Mas isso não é nada, nada mesmo, se comparado às maluquices que ela vai fazer para se aproximar desse homem e descobrir seu grande segredo. Movida por uma criatividade sem limites, intrigada e atraída por um desconhecido que mora perto, Julie assume riscos cada vez mais delirantes, sem perceber que pode cair na própria armadilha.

 

Fangirl – Rainbow Rowell

Cath é fã da série de livros Simon Snow. Ok. Todo mundo é fã de Simon Snow, mas, para Cath, ser fã é sua vida – e ela é realmente boa nisso. Vive lendo e relendo a série; está sempre antenada aos fóruns, escreve uma fanfic de sucesso e até se veste igual aos personagens na estreia de cada filme.

Diferente de sua irmã gêmea, Wren, que ao crescer deixou o fandom de lado, Cath simplesmente não consegue se desapegar. Ela não quer isso. Em sua fanfiction, um verdadeiro refúgio, Cath sempre sabe exatamente o que dizer, e pode escrever um romance muito mais intenso do que qualquer coisa que já experimentou na vida real.

Mas agora que as duas estão indo para a faculdade, e Wren diz que não a quer como companheira de quarto, Cath se vê sozinha e completamente fora de sua zona de conforto.

Uma nova realidade pode parecer assustadora para uma garota demasiadamente tímida. Mas ela terá de decidir se finalmente está preparada para abrir seu coração a novas pessoas e a novas experiências.

 

Todo o tempo do mundo – Maurício Gomyde

Meu nome é Vitor Pickett. Eu viajo no tempo…

OK, você já leu muitas histórias assim, mas garanto que todas não passam disto mesmo: histórias. No meu caso, por mais inacreditável que pareça, é tudo verdade. Eu REALMENTE viajo no tempo. As viagens duram segundos, minutos ou, no máximo, poucas horas. Se fico insanamente feliz, volto ao passado; se absurdamente triste, vou para o futuro.

Isso me criou tantos problemas, que a única saída foi me isolar num canto do mundo e passar meus dias tentando nunca mais ser feliz nem triste.

A causa? Amanda. Por que eu? Não sei. Um dia vai acabar? Não faço ideia. Mas hoje de manhã chegou um convite. E acho que finalmente poderei descobrir se o que me acontece é dádiva ou maldição…

 

leiturasdeoutubro

 

Em outubro consegui ler 4 livros, comecei o mês empolgada depois parei um pouco por questões profissionais e no final do mês consegui dar mais um gás nas leituras… E vocês, como foram?

Agora vou comentar o que achei de cada um dos livros.

 

O segredo do meu marido

Uma leitura que me envolveu bastante pois é cruelmente realista. Três famílias, três histórias que se entrelaçam.

A vida pode ser cruel, erros graves e irreparáveis podem ser cometidos no calor do momento. Sentimentos confusos, conclusões equivocadas; essa é a vida.

É fácil determinar o que é certo e errado quando as consequências não te envolvem ou afetam.

Muito poderia ter sido, só que as “pequenas” decisões e escolhas transformaram tudo em uma colcha de retalhos bem diferente.

 

Encanto da luz

Quando se está meio desanimado, ler um livro da Nora Roberts é uma ótima ideia. Encanto da luz mostra mais uma romântica história de amor que surge com um membro (agregado) da família MacGregor.

Um romance que se puder, você lê de uma vez só; a escrita da autora é agradável e suas narrativas com mulheres determinadas e homens teimosos representam um prato cheio para quem, como eu, adora livros com finais felizes.

 

Turma da Mônica Jovem – Uma viagem inesperada

Esse livro de contos reúne quatro escritoras, três das quais me eram desconhecidas.

O conto da Melina Souza foi o mais adorável e me inspirou bastante. E o da Pam foi bem engraçado, pois é fácil se conectar com a “menina da cidade grande” que precisa lidar com a vida na fazenda; a Larissa me fez rir. 🙂

Crianças podem ser adoráveis, e sem perceber nos apegamos.

 

Nicola e o Visconde

Meg traz nesse livro um romance juvenil de época. Nicola tem 16 anos, é órfã, tem amigos leais e uma paixonite pelo visconde. Enquanto tenta conquistá-lo, se envolve em um problema sério que coloca em risco sua própria vida.

Em meio a confusões e situações agitadas, ela encontra o amor ‘que não percebia’.

Esperava um pouco mais, sendo um livro da Meg, mas gostei.

Essas foram as leituras de outubro. Espero que novembro traga muitas outras leituras, engraçadas, românticas, reflexivas e construtivas.

🙂

osegredodomeumarido

Trechos

 

“As pessoas pensavam que a tragédia trazia sabedoria, que elevava automaticamente o sofredor a um patamar mais alto, mais espiritualizado; porém, para Rachel parecia, na verdade, ser o contrário.”

 

“Um único ato poderia definir uma pessoa para sempre?”

 

“Finais felizes sempre a faziam chorar. Era o alívio.”

 

“Era isso o que precisava ser feito. Era assim que se convivia com um segredo terrível. Apenas seguia-se em frente.”

 

“Tess estava com vergonha por não estar se comportando como uma mãe abnegada deveria.”

 

“Sua bondade tinha limites. Poderia muito bem ter passado a vida inteira sem conhecê-los, mas agora sabia exatamente quais eram.”

 

“Apaixonar-se era fácil. Podia acontecer com qualquer um. Difícil era manter o amor.”

 

“O casamento era uma forma de loucura; o amor pairava sempre no limite da irritação.”

 

“Há tantos segredos em nossas vidas que nunca conheceremos.”

 

“Nenhum de nós conhece todos os possíveis cursos que nossas vidas poderiam ter tomado. E provavelmente é melhor assim.”

filmesparaassistir

 

Hoje trouxe a lista dos filmes que quero assistir até o final do ano.

  • Uma linda mulher
  • A sociedade literária e a torta de casca de batata
  • O anjo do Mossad
  • Para todos os garotos que já amei
  • Vidas à deriva
  • The little mermaid
  • Sol da meia-noite
  • Love, Simon
  • Do jeito que elas querem
  • The healer
  • Trama fantasma
  • I can only imagine
  • Tudo e todas as coisas
  • O quarto de Jack
  • O banqueiro da resistência
  • Agnus Dei
  • Farol das Orcas

 

Alguns estão na Netflix e outros não… E vocês, ainda querem assistir muitos filmes em 2018? 🙂

 

livrosnaolidosdatag

 

Fique comigo – Ayòbámi Adébáyò

Yejide espera por um milagre. Um filho é tudo que seu marido deseja, tudo que sua sogra consegue pensar, mas a gravidez parece para ela uma realidade distante. Mas, quando a família insiste que seu marido aceite uma nova esposa, Yejide chega ao limite.

Tendo como pano de fundo a turbulência política e social da Nigéria dos anos 1980, Fique comigo é um retrato da fragilidade do amor matrimonial, do rompimento de uma família, do poder do luto e dos laços arrebatadores da maternidade. Uma história sobre as tentativas desesperadas que fazemos para salvar nós mesmos, e aqueles que amamos, do sofrimento.

 

Southernmost – Rumo ao Sul – Silas House

Até onde seu amor pode ir? Após uma enchente que leva consigo a maior parte de uma cidadezinha do sul dos Estados Unidos, o pastor Asher Sharp oferece seu telhado a um casal homossexual. As respostas ao ato de solidariedade, entretanto, mudam sua visão de vida – e o que vem depois pode fazê-lo colocar tudo a perder: sua esposa, presa no preconceito religioso; sua congregação, que o expulsa após um sermão sobre tolerância; e seu filho, Justin, preso no meio de uma batalha por sua custódia. Em uma jornada que atravessa o país, Silas House nos conduz a uma bela reflexão sobre amor, coragem e sobre as consequências de nossos atos.

 

A filha do rei do pântano – Karen Dionne

Helena tem um segredo: ela é o fruto de um sequestro. Sua mãe foi raptada quando ainda era adolescente e mantida em uma casa escondida no pântano do Michigan. Nascida dois anos depois do sequestro, Helena aprendeu a amar sua infância fora do comum – e aprendeu, até mesmo, a amar seu pai, um homem selvagem e brutal. Quando ele escapa da prisão, ela precisa encarar o passado que ocultou tão habilmente do marido e das filhas. Em uma caçada de tirar o fôlego, ela faz de tudo para encontrar seu pai enquanto reexamina os episódios da infância que moldaram seu futuro.

osegredodomeumarido

 

Primeira frase da página 100: “- Pode ser que ele quisesse assistir ao jogo de críquete na TV – ponderou Polly. – E Isabel quisesse ver alguma outra coisa.”

 

Do que se trata o livro: O livro fala sobre Cecilia e John-Paul, um casal com três filhas; ele é um homem muito ocupado e ela é uma mulher que se divide entre diversas ocupações como: cuidar das filhas, da casa e também trabalhar. Ela descobre uma carta, questiona o marido sobre o assunto, e começa a desconfiar de algumas coisas. A narrativa também fala sobre outras duas famílias que vivem dificuldades e mudanças diversas. Vidas que se conectam.

 

O que está achando até agora?

Estou gostando da leitura e agora já é possível começar a conectar essas três ‘famílias separadas’. A autora fala da vida cotidiana de maneira realista, e achei bem interessante a forma como naturalmente vai construindo o relacionamento de Cecilia com as filhas e ao mesmo tempo demonstrando como cada uma das três crianças é diferente da outra.

 

O que está achando da personagem principal?

Estou achando a Cecilia uma mulher decidida, mas que começa a duvidar da própria vida que leva por causa de uma carta suspeita (que ainda está fechada). A carta despertou nela a percepção de fatores problemáticos da vida que ela não reparava até agora.

 

Melhor quote até agora: “Naquela manhã, enquanto lutava com a tampa do pote de Vegemite, chegara a usar a expressão ‘filho da puta’, pronunciando as sílabas com cuidado, para que não soasse tão profana. A mãe usara o xingamento mais pesado de seu vocabulário porque estava transbordando de raiva pela filha.”

 

Vai continuar lendo?

Sim! Preciso descobrir qual é o segredo do marido da Cecilia, e pelo que está acontecendo no livro até agora, aposto que é algo trágico e que envolve assim essas três famílias que aparecem.

 

Última frase da página 100: “- O quê?”

 

cartasficticiasabailarina

 

Paris, 15 de junho de 1870

 

Querida Madame Odette,

 

Venho através desta carta declarar o meu apreço por você da maneira mais respeitosa possível.

Por anos acompanhei seu amargor pela vida depois daquele fatídico incêndio durante a apresentação do Lago dos Cisnes. E me doía profundamente ver-lhe ignorar que a sua vida é mais do que o balé. Acompanhei de perto toda sua dedicação e amor pela dança na época; e naquela noite o fogo danificou mais do que o seu pé, ele dizimou a sua alegria.

Félicie, com todo seu ímpeto questionador e espontaneidade acabou conquistando seu coração. E pude notar que isso te libertou um pouco do passado.

Essa garotinha órfã mostrou a paixão que eu não via desde quando éramos jovens; e por ter nos lembrado o que é realmente correr atrás dos seus sonhos, ela me fez perceber que já perdi tempo demais sem lhe dizer, o quanto é importante na minha vida.

Você, minha queria, é graciosa e adorável; seja usando uma sapatilha de balé ou segurando uma vassoura.

Meus dias são mais agradáveis quando lhe vejo.

Por isso, gostaria de lhe convidar para jantar comigo no sábado, na taverna local; a Félicie e o Victor costumam ir lá esporadicamente, mas acredito que não seria um problema nos verem juntos.

Aguardo ansiosamente sua resposta.

 

Com amor,

seu Mérante Le Raut

 

Esta é uma carta que inventei baseada em dois personagens do filme A Bailarina.

Não está sabendo sobre esse projeto? Confira o post no qual explico os detalhes.

 

Fotor_153922062442032

 

Hoje trouxe uma lista (bem otimista) dos livros que quero ler até o final do ano. Será que vou conseguir? Hehe

  • O segredo do meu marido
  • Trabalho organizado
  • Para continuar
  • Tipos incomuns
  • Nicola e o visconde
  • Uma história de verão
  • A corrida de escorpião
  • A filha do rei do pântano
  • O milagre
  • Origem
  • Ofício de escrever
  • Fique comigo
  • Escrever melhor
  • Por que fazemos o que fazemos?
  • Southernmost
  • The Kiss of Deception
  • Noites brancas

Como vocês podem perceber, alguns desses livros já estiveram em TBRs durante o ano, mas como sabem, nem sempre conseguimos fazer tudo que planejamos.

Portanto, me diverti para criar a lista, mas se não conseguir ler todos até dezembro, está tudo bem também.

O importante é nos envolvermos sempre com cada uma das obras que lemos.

Algumas serão memoráveis, outras nem tanto.

Mas acredito que cada uma possui algo que podemos aproveitar, sendo ela mais simples ou mais elaborada, sempre é possível ‘tirar’ algo, basta ser receptivo e atencioso…

Aproveitem suas leituras, e corram que o ano está quase acabando! 😉